Por: Deivis Chiodini | 3 anos atrás

Anderson Silva testou positivo para drostanolona e androsterona. Uowww, o mundo do esporte esta em choque. 39 anos, 39 lutas, o maior reinado da história do UFC, retornando de uma lesão que parecia o fim de sua carreira… Nada poderia ser mais anticlímax que um doping. Seu adversário, Nick Diaz também caiu, por uso de maconha (droga que não melhora a performance). Semanas antes, Jon Jones, o supercampeão dos meio pesados foi pego por uso de cocaína (droga que também não melhora performance). Tudo isso em um mês de 2015.

post253

Como isso impactará a visão do mundo, e principalmente do Brasil sobre o maior evento de MMA do mundo?

Anderson é sem dúvida uma das figuras responsáveis pelo boom do UFC no Brasil. Seu nocaute sobre o conhecido do grande público Vitor Belfort (que era conhecido por ser namorado da Feiticeira) foi o primeiro passo, afinal se aquele negro, magro, de voz fina foi capaz de acabar com o famoso Vitor Belfort ele deveria ser bom.

Logo depois veio o UFC 134, a primeira edição no Brasil em muitos anos. Muita propaganda, transmissão em teve aberta, alguns nomes semi conhecidos como Shogun e Minotauro, mas quem ancorava o barco? Anderson Silva, o invencível campeão, que enfrentava Yushin Okami, o último homem a vencê-lo (mesmo que por uma desqualificação equivocada da arbitragem), antes mesmo de ele entrar no UFC.

mma_e_silva14_576

 

E la foi Anderson, com seu jeito característico, guarda baixa, e nocauteou o japonês. Depois veio o polêmico Chael Sonnen, que falou mal do Brasil, e la foi Anderson “defender a honra” do Brasil, mais comoção, mais mídia. As derrotas pra Weidman, a lesão, a volta acompanhada em detalhes.

Claro que prejuízos imediatos ocorrerão, como em qualquer corporação. A Budweiser tem em Anderson seu nome forte no Brasil, e ele estava escalado pra começar a gravar o “The Ultimate Fighter Brasil 4” nesta terça, e terá de ser substituído. Mas vejo como danos imediatos, sem longos efeitos.

Já li algumas opiniões de ontem pra hoje dizendo que Anderson ter sido pego no doping é como Tyson ter mordido a orelha de Holyfield, que isso acabou com o boxe para grande mídia, que só os fanáticos assistem, etc. Discordo, e considero uma opinião infundada.

Primeiro porque o boxe não acabou para o grande público. Ele não é visto no Brasil porque não temos campões.O que o UFC fatura em meses, a HBO e a Showtime (as duas maiores promotoras de boxe) faturam em um evento com um grande nome, seja ele Mayweather, Pacquiao, Klitschko, Lara ou qualquer outro.

_69853248_mayweather

O boxe move Las Vegas, não o MMA. No Brasil não nos interessamos por boxe por que formamos poucos atletas de alto nível, ao contrário do MMA. No UFC temos um cinturão e mais quatro disputas de cinturão agendadas. O UFC faz um ranking dos 15 melhores de cada categoria, excetuando o campeão. Ou sejam 150 atletas listados. Desses, 38, ou seja 25%, são brasileiros. Por isso, o brasileiro vai continuar se interessando por MMA.

Outro ponto que fará o UFC continuar forte no Brasil e mundo afora são os acordos com grandes redes. Nos anos de míngua o UFC era transmitido nos EUA pela Spike TV e no Brasil exclusivamente pelo Combate. Hoje, tem um acordo milionário nos EUA com a FOX e no Brasil com a Globo.

Ou você acha que essas duas corporações vão começar a colher prejuízos em um produto que elas pagaram caro? Lógico que não. Um herói se foi? Criam-se outros. O dinheiro move o mundo em tudo e nessa situação não será diferente.

Provavelmente Anderson se aposentará com essa pequena mancha na carreira. Digo pequena, pois não sejamos tolos. Atletas de alto rendimento usam muitas substâncias proibidas, sem exceção. Apenas Anderson caiu, deve ter errado o ciclo. Anderson continuará a ser o maior de todos os tempos e seu lugar no Hall da Fama está garantido.

Dana White é um executivo sábio o suficiente para lidar com crises. Com certeza, ele sabe que precisa criar um novo ídolo para o Brasil. Que tal um cara de 28 anos, que tem muito tempo de luta pela frente, que está invicto desde 2006 e é seu campeão incontestável? José Aldo é a bola da vez para o UFC no Brasil. Se antes Aldo era calado e respeitoso, em sua última luta ele empurrou o adversário Chad Mendes no media day, e protagonizou a luta do ano num Maracanãzinho lotado, com o Brasil todo acompanhando.

jose-aldo-vs-chad-mendes-2-full-fight-video-highlights

Agora, ele terá pela frente um falastrão irlandês, Conor McGregor, o insulta, insulta o Brasil e promete esmagá-lo numa luta que ocorrerá em julho em Las Vegas, num dos eventos considerados de gala do UFC, na semana da Independência dos EUA. Algo que lembra Sonnen x Anderson Silva? Tudo.

O UFC sabe como gerar lucro e mexer com a emoção das pessoas.

Aposto que você mal lembrará do doping do Anderson Silva próximo a luta de Aldo. O UFC vai continuar em alta.