Por: Sistema Por Acaso | 4 anos atrás

download (2)

O que foi o Golpe Militar em 1964? Como as pessoas viviam durante a ditadura no Brasil? E é possível – ou desejável – uma nova intervenção militar no país? Para discutir essas questões e lembrar os 50 anos do início da ditadura militar no Brasil, o Câmpus Jaraguá do Sul do Instituto Federal de Santa Catarina promove hoje, a partir das 18h, o evento “Filme e Conversa: Ditadura Militar no Brasil”.

O evento é aberto ao público e, durante a noite, será exibido o documentário “Batismo de Sangue” (2007), divulgada a reedição da obra “Livro Negro da Ditadura Militar” e debatido o tema com o professor e sociólogo Jeison Giovani Heiler.

Para uma das organizadoras do evento, Kênia Gaedtke, as atividades ocorrem num importante momento da história do país. “Vimos, após as eleições presidenciais deste ano, que muitos grupos retomaram a ideia de uma intervenção militar no Brasil. Alguns foram inclusive às ruas manifestar esse desejo. Por isso é preciso conversar a respeito e saber mais sobre um passado recente que não pode ser esquecido”, explica.

O evento é gratuito e começa às 18h, com a exibição do documentário “Batismo de Sangue”. Dirigido por Helvécio Ratton, o vídeo conta a história de um grupo de frades dominicanos que, no final dos anos 60, passa a apoiar um grupo de resistência à ditadura.
Já às 20h será divulgada a obra “Livro Negro da Ditadura Militar” (1972), que foi escrita, impressa e distribuída clandestinamente e causou grande impacto no Brasil e no exterior. Em paralelo, haverá um debate sobre a ditadura militar com o sociólogo Jeison Giovani Heiler.

Via OCP Online.