Por: Ricardo Daniel Treis | 7 anos atrás

Os cerca de 60 moradores do bairro Vila Rau que são contra a proposta da Prefeitura de alteração do local de construção da ponte que liga a comunidade com o bairro Amizade mostraram força. Bem organizados, elaboraram um estudo de impacto com a passagem erguida a partir da rua Ana Muller Enke até a Vista Alegre. Eles entraram com uma ação na Justiça contra a proposta da Prefeitura de mudar o Plano Diretor para evitar que a passagem seja construída nesse local.

Porta-voz do grupo, a moradora Lorena Mezoni Gaedtke apresentou um relatório desenvolvido em parceria com engenheiros e advogados para justificar os impactos que a ponte iria causar nesse ponto. Ela destaca que a comunidade não é contra a instalação da ponte para melhorar a circulação do trânsito e desafogar outras vias, só que não no local sugerido pela Prefeitura.

Nelson

Os moradores defendem que a melhor alternativa é seguir o projeto original, que passa por uma extensão da rua Waldemar Rau. “Não estamos nos mobilizando porque isso irá prejudicar a nossa tranquilidade, seria uma justificativa ingênua e egoísta. A nossa mobilização começou para que o Plano Diretor seja cumprido.”

Segundo o relatório dos moradores, a construção pela rua Ana Muller Enke iria exigir o alargamento da via porque o local não tem capacidade para atender ao fluxo maior de veículos por ser área residencial. Os moradores ressaltam no documento que o local original iria facilitar a execução de projetos de escoamento do tráfego, por meio de aberturas de novas ruas de acordo com as exigências do Plano Diretor.

Semana passada, o pedido de votação de urgência na Câmara de Vereadores foi retirado, e o documento será votado somente no ano que vem. “Vamos deixar mas mãos dos vereadores. Vamos estar presentes em todas as sessões e responder todas as perguntas. Se eles aprovarem, vamos dar início às obras logo em seguida. Se não for aprovado, teremos que deixar o projeto de lado e pensar em uma nova alternativa”, afirma a prefeita Cecília Konell. A Câmara vai votar o projeto somente em 2011. A intenção dos vereadores é debater mais o assunto com entidades da comunidade.

A construção da ponte entre os bairros Vila Rau e Amizade envolve um desentendimento entre a empreiteira Salver e a Prefeitura. A construtora cobra R$ 400 mil por ter construído pilares seguindo o projeto original, definido em 2008. A controladoria da Prefeitura deverá entregar amanhã um parecer para a procuradoria do município e informar se o pagamento será feito, pois entende que a construtora iniciou a obra sem seguir o projeto apresentado.

“Se não tivemos uma posição favorável com o pagamento, vamos entrar na Justiça”, afirma Tamires Regina Machado, advogada da Salver Empreiteira.


Via AN