Por: Sistema Por Acaso | 4 anos atrás
Votaram contra o projeto, além de Jocimar Lima, Jair Pedri (PSDB), Ademar Winter (PSDB), Jeferson Oliveira (PSD), Amarildo Sarti (PV) e Arlindo Rincos (PP) (Foto: Lúcio Sassi)

Votaram contra o projeto, além de Jocimar Lima, Jair Pedri (PSDB), Ademar Winter (PSDB), Jeferson Oliveira (PSD), Amarildo Sarti (PV) e Arlindo Rincos (PP) (Foto: Lúcio Sassi)

Sem explicar os motivos, à exceção de Jocimar Lima (PSDC), que voltou a questionar valores, porém, sem indicar qual e de quanto seria o erro de cálculo, a bancada de oposição rejeitou na noite de ontem o projeto que autorizava a Prefeitura a comprar área necessária para construir o acesso à Ponte do Curtume, que vai ligar os bairros Barra do Rio Molha e Jaraguá Esquerdo. Em uma clara decisão política, votaram contra o projeto, além de Jocimar, Jair Pedri (PSDB), Ademar Winter (PSDB), Jeferson Oliveira (PSD), e Amarildo Sarti (PV). Favoráveis foram Natália Petry (PMDB), Pedro Garcia (PMDB), Eugênio Juraszek (PP), João Fiamoncini (PT), e José de Ávila (SDD). Com o placar empatado, coube a Arlindo Rincos (PP) decidir e, mais uma vez ele, que é do partido do prefeito Dieter Janssen, inexplicavelmente foi contra o governo.

Procurado pela coluna, Dieter lamentou a decisão dos parlamentares. Disse que a área que seria permutada nas proximidades da Arena em troca de espaço no Jaraguá Esquerdo, de 270,87 metros por R$ 290.398,26, está parada e que a negociação seria de interesse dos proprietários do terreno que será utilizado para abertura da ponte e também do município. “Agora vamos ter que fazer outro acordo, os quase 300 mil reais que a gente poderia investir em outra obra, como construção de creche, asfalto, vão ter que ser aplicados ali quando não seria necessário. Eu lamento também porque a abertura da ponte vai demorar mais em função disso”. Questionado sobre a postura de Rincos, o prefeito não quis comentar.

Outros 1.187,11 metros quadrados de terreno vão custar à Prefeitura R$ 1.051.273,26. Com a decisão da Câmara, o Executivo não tem prazo para finalizar a obra, já que será necessário fazer um novo acordo e um novo projeto de lei terá que ser encaminhado para a apreciação do Legislativo. José de Ávila criticou a postura dos colegas. “Foram eleitos para atender os interesses da comunidade e estão fazendo justamente o contrário. Quem sai perdendo é a população”.

Izidoro dá ultimato 

“Esse cara foi eleito pelo PP com 1.100 votos, ou seja, precisou da ajuda de todos para conquistar a cadeira na Câmara e vai precisar do partido se quiser se candidatar outra vez e, se quiser sair, o partido vai pedir o mandato”. Do presidente do PP, Ademir Izidoro, para quem Arlindo Rincos já ultrapassou todos os limites.

Prontos para o verão

José de Ávila estaria em curso ontem, mas antecipou a volta para tentar impedir que o projeto fosse rejeitado. O que ele não esperava era que o desempate caberia a Rincos, que mais uma vez se juntou à oposição. Um alto escalão já dizia ontem: “esses R$ 300 mil que vamos ter que gastar seriam investidos em Nereu Ramos”.  Parece que dessa vez vai haver retaliação política.

Via OCP Online.