Por: | 9 anos atrás

Leonel Pavan (PSDB) tomou posse nesta quinta-feira como governador de Santa Catarina no lugar de Luiz Henrique da Silveira (PMDB), que renunciou para cumprir as regras do calendário eleitoral.

Luiz Henrique deve disputar uma vaga no Senado nas eleições de outubro. Em seu discurso de despedida, ele fez um resumo de seus sete anos à frente do Executivo, destacando as conquistas na área social e no crescimento da economia de Santa Catarina.

“Quero dizer-lhes que só realizamos tudo isso, porque contamos com a parceria dessa Casa [Assembleia Legislativa], que aprimorou a maioria dos nossos projetos, que foram transformados em lei”, disse.

O novo governador garantiu que fará uma administração afinada com o Poder Legislativo, assegurando tratamento igualitário aos 40 parlamentares estaduais.

“É um governo de continuidade, não é de mudança. É um ano curto e um ano em que temos que cumprir leis rigorosas, como a lei eleitoral e a lei de responsabilidade fiscal. Temos nove meses e não podemos inventar muito, mas o nosso compromisso será de respeito às pessoas, um governo que vai conversar com as pessoas. Não será um governo de gabinete”, disse o vice.

Pavan foi denunciado pelo Ministério Público por advocacia administrativa e violação do sigilo funcional.

Ele foi alvo de investigação da Polícia Federal, que o acusa de ter recebido R$ 100 mil para ajudar empresários a recuperar a inscrição fiscal de uma distribuidora de combustíveis, cancelada por sonegação. Ele nega as acusações.

Em fevereiro, a Assembleia Legislativa de Santa Catarina autorizou a abertura de ação por corrupção passiva contra Pavan. Ele entregou uma carta a todos os deputados pedindo que autorizassem a ação.

“Não pratiquei nenhum ato ilícito e nem causei nenhum prejuízo ao Estado. Agilizar o andamento da investigação. Esse é meu propósito. Confio no TJ [Tribunal de Justiça] e reafirmo o propósito de trabalhar em nome dos catarinenses”, diz Pavan na carta.

Via Folha.