Por: Ariston Sal Junior | 4 anos atrás

20140530_145136

Os europeus não têm mais de se preocupar com material indesejado nos resultados de ferramentas de busca. O Tribunal de Justiça da União Europeia determinou que usuários da web podem solicitar às empresa a remoção do conteúdo.

A principal empresa da área, o Google, disponibilizou um formulário online para que as pessoas façam o pedido — que será estudado individualmente. Os resultados precisam ser “inadequados, irrelevantes ou já não relevantes, ou excessivos em relação aos fins para os quais foram processados”, de acordo com o Tribunal.

“Na implementação da presente decisão, iremos avaliar cada pedido individual e tentar equilibrar os direitos de privacidade do indivíduo com o direito do público de conhecer e distribuir informações”, diz o Google na página.

Ao avaliar o pedido, o buscador afirma que analisará se os resultados incluem informações desatualizadas e se existe interesse público no conteúdo — informações sobre fraudes financeiras, negligência profissional, condenações penais ou conduta de funcionários do governo.

“Este formulário é um esforço inicial”, admite a empresa. “Pretendemos trabalhar em conjunto com as autoridades de proteção de dados e outras ao longo dos próximos meses à medida que aperfeiçoamos a nossa abordagem.”

Via Galileu