Por: Ariston Sal Junior | 4 anos atrás
Sem clube após a Copa do Mundo, goleiro do México realizou ao menos quatro defesas difíceis na tarde de ontem (Foto: Robert Cianflone/Getty Images)

Sem clube após a Copa do Mundo, goleiro do México realizou ao menos quatro defesas difíceis na tarde de ontem (Foto: Robert Cianflone/Getty Images)

Um goleiro desempregado atrapalhou os planos do Brasil na tarde de ontem (17). Graças à brilhante atuação de Ochoa, o México segurou um empate sem gols contra a Seleção Brasileira no Castelão, em Fortaleza (CE), pela segunda rodada do Grupo A da Copa do Mundo.

O arqueiro mexicano realizou quatro defesas com elevado grau de dificuldade, sendo o principal diferencial em um jogo marcado pelo equilíbrio. Equilíbrio este traduzido nos números da partida, com 53% de posse de bola do Brasil, contra 47% do México. Os Canarinhos finalizaram 14 vezes, contra 13 dos Astecas. Porém, os brasileiros foram mais eficientes nas finalizações, com 8 chutes certos contra 3.

E foi nesta hora que Guillermo Ochoa, 28 anos, 1,85 metros, e 58 jogos pelo selecionado nacional apareceu. Logo ele, que depois da Copa terá que procurar emprego, após o fim de seu contrato com o Ajaccio (França). Mas, pelo que demonstrou contra o Brasil, não faltará ofertas.

Sobre o jogo, o primeiro tempo foi truncado, marcado por muitas faltas e poucas chances de gols. O México quebrava os contra-ataques do Brasil, enquanto apostava no expediente das finalizações de fora da área. O panorama só mudou com as entradas de Bernard e Jô, nas vagas de Ramires e Fred, isso após os 15’ do segundo tempo. O jogo se tornou aberto e franco, mas ninguém teve competência para balançar a rede.

“O mais importante no futebol é a vitoria e, depois, é não perder. Uma derrota poderia por em risco o primeiro lugar do grupo e sabendo que o empate não era mau resultado, tivemos boas oportunidades, tal como eles”, afirmou Bernard, que saiu do banco pela segunda vez para tentar acelerar o jogo do Brasil.

SEM ESPAÇO – Neymar sofreu marcação dura dos mexicanos (Foto: Michael Steele/Getty Images)

SEM ESPAÇO – Neymar sofreu marcação dura dos mexicanos (Foto: Michael Steele/Getty Images)

“O 0 a 0 espelha o que foi esse jogo, bem disputado. A vitória nos classificaria, mas temos de saber respeitar o adversário”, afirmou Luiz Felipe Scolari, que perdeu os 100% de aproveitamento à frente da Seleção Brasileira em Copas.

“Foi um jogo contra um grande adversário, bem disputado. Em Copa do Mundo não tem moleza, mas criamos mais chances em determinados períodos que o México”, disse o zagueiro David Luiz, que chegou a trocar de posição com Luiz Gustavo no segundo tempo, para preservar o volante.

A situação do Brasil pode se complicar ainda mais caso Camarões vença a Croácia, hoje. Se isso ocorrer, os Leões Indomáveis chegam aos quatro pontos e pegam o Brasil no dia 23, em Brasília, para tentar garantir a classificação às oitavas de finais. Neste caso, apenas o vencedor do confronto avança.

Via OCP