Por: Sistema Por Acaso | 4 anos atrás

Foto: Gabriela López/Especial para o BlogImagem

Os protestos de rua continuam moldando a reação do poder público, um ano depois.

A capital pernambucana será a primeira cidade a anunciar o cancelamento de um evento da Fifa, nesta sexta-feira (14). A Secretaria de Esportes e Copa do Mundo, ligada à Prefeitura do Recife, convocou uma coletiva de imprensa para repassar os detalhes.

O evento estava orçado em R$ 20 milhões e o prefeito Geraldo Julio (PSB) avaliou que os recursos poderiam ser melhor empregados. Os protestos de rua foram levados em conta. Pelas redes sociais e até em movimentos de rua, o bordão é “não vai ter Copa”.

Internamente, a PCR avaliou que a gestão municipal já iria ter os jogos em telões nos polos juninos e que não valia a pena passar 30 dias com o Recife Antigo interditado com a festa.

O prefeito Geraldo Julio disse não temer represálias. “Vamos pagar para ver”, é a orientação.

Para se poupar da exposição frente o cancelamento do evento, Geraldo Julio cumprirá agenda pública na Muribeca. O prefeito vai inaugurar a creche-escola de Bola na Rede, às 11h.

A Fan Fest é uma atração para os torcedores que não vão para os estádios acompanhar os jogos in loco, mas não querem perder um minuto de bola rolando e em clima de festa. Uma estrutura seria montada no Marco Zero da cidade para que o torcedor assistisse a todos os jogos e aos shows que estariam previstos para acontecer. Seria um Carnaval de 30 dias.

Na fase da discussão sobre o evento com a Fifa, a prefeitura apresentou uma proposta para tirar o evento do Marco Zero para a Praça do Arsenal, também na área central da cidade, porém não foi aceito pela entidade que rege o futebol.

Fonte.