Por: Ricardo Daniel Treis | 6 anos atrás

SÁBADO, 10 DE SETEMBRO:
Acompanhem nosso amigo @EmersonRadio transmitir as últimas em seu twitter, eis o que temos da situação até agora:

12h02 – Fuga de detentos agora no presídio de Jaraguá do Sul

12h34 – Situação do Presídio de Jaraguá do Sul: Rebelião com cerca de 75 presos. Um deles está com arma e há um agente prisional refém.

13h27 – As negociações continuam com os rebeliados no presídio de Jaraguá do Sul

13h54 – O agente prisional que está sob posse dos detentos amotinados atende pela alcunha de Gaúcho. #RebeliãoPresídioJaraguádoSul

14h02 – Super lotação pode ser a causa mais provável da rebelião no presídio de Jaraguá do Sul

14h10 – Rebelião no Presídio de Jaraguá do Sul: O agente prisional continua com os detentos e está ferido com um corte na face.

14h13 – Rebelião no Presídio de Jaraguá do Sul: Reforço do BOPE da PM de Joinville está no presídio de Jaraguá do Sul.

14h30 – Situação fica mais tensa no presídio de Jaraguá do Sul. A rebelião agora se alastra para a Ala B.

16h11 – Agente prisional que era refém foi liberado e começa o pente fino no presídio regional de Jaraguá do Sul.

17h01 – Fim da Rebelião no Presídio de Jaraguá. Situação controlada.Agente Prisional está sendo atendido no São José e 84 presos serão transferidos

Vamos tomar os devidos cuidados aí moçada, portas e janelas trancadas neste finds.

Sigam também o twitter do 14º BPM (@14BPM) para mais informações.

UPDATE – SEGUNDA-FEIRA, 12 DE SETEMBRO
Com dados d’O Correio do Povo e do 14ºBPM:

– Um agente prisional foi mantido refém durante as negociações no sábado, dia 10. Ele foi liberado cerca de quatro horas depois. Mais de 80 detentos que ocupavam a cela A foram transferidos para outras comarcas do Estado. 
– A confusão começou quando dois agentes serviam almoço aos detentos da Ala A. Nesse momento, um dos presos rendeu o funcionário utilizando um espeto de ferro. Eles exigiram ao outro agente a abertura das grades. 
– Ao perceber a confusão, policiais militares que fazem a segurança permanente do presídio, responderam com disparos de balas de borracha e jatos d´água, fazendo com que o outro agente prisional conseguisse sair do local e trancasse a saída. 
– Os detentos iniciaram uma rebelião, colocaram os colchões no pátio e danificaram as celas. Exigiram a presença da juíza da Vara Criminal, Cândida Inês Brugnoli, do promotor, Márcio Cota e da imprensa. Uma lista de reivindicações foi entrega à juíza e ao promotor. Eles reclamam do excesso de óleo na sopa, superlotação, pedem revisão de pena e a saída do diretor. 

Após liberado pelos detentos, o agente prisional tomado como refém foi encaminhado ao hospital para ser tratado das agressões sofridas, que consistiram em socos e pontapés.