Por: Max Pires | 7 anos atrás

O vereador Francisco Alves (PT) voltou a criticar, desta vez na tribuna da Câmara, o crime ambiental que está ocorrendo em algumas ruas que ficam às margens do rio Itapocu, no bairro Ilha da Figueira. Francisco informou aos colegas que na sexta-feira esteve na Fundação de Meio Ambiente (Fatma), em Joinville, para entregar relatório e fotos que comprovam que as propriedades estão sendo comprometidas e perdendo grande parte de suas áreas depois que a empresa Infrasul começou a retirar material do leito do rio.

Francisco aguarda uma posição do gerente de Desenvolvimento Ambiental da Fatma, José Cardozo, que prometeu enviar um geólogo para verificar a extensão do dano. O vereador já tinha procurado a Fundação do Meio Ambiente do município, a Fujama, que o informou que era atribuição da Fatma, mas ele não ficou satisfeito com este encaminhamento. Segundo ele, falta fiscalização e diálogo entre os órgãos ambientais de diferentes esferas.

“Passaram lista do que os moradores deveriam fazer para recuperar seus terrenos, ação que deveria ser da empresa que está tirando o saibro, é muito delicado”, denunciou. Na realidade, a lista a que o vereador se refere é um parecer técnico da Defesa Civil assinado por três engenheiros civis, que aponta o que precisa ser feito para recuperar a área, mas não aponta quem deve executá-la.