Por: Gabriela Bubniak | 2 anos atrás

Sabe aquele típico “bafo de leão” de todas as manhãs? Todo mundo tem (uns mais e outros menos) e não dá pra escapar, mas agora esse mau cheiro pode estar com os dias contados. Só que isso depende de um estudo desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, há algum tempo: desde 2006.

O nosso corpo é cheio de microrganismos e nisso, claro, restam alguns micróbios que ficam na boca – ambiente que é sempre bem úmido. É que de vez em quando, enquanto adormecidos, as bocas ficam secas e, justamente neste momento, acontece um ataque contra as bactérias “do bem”, contribuindo para que aquelas que omitem odores prevaleçam: pronto, é por isso que acordamos com aquele hálito maléfico.

Os cientistas acreditam que a bactéria Streptococcous salivarius K12, usada em algum tipo de spray, num mix de outras bactérias, poderia ser a resposta para o fim do mau hálito mundial. E os pesquisadores já até botaram a ideia em prática, onde os voluntários foram submetidos à composição S. salivarius K12 e apresentaram um hálito mais agradável.

Ainda segundo outros estudos, constata-se que a composição S. sqalivarius K12,  usada junto com o Listerine (que, inclusive, é capaz de matar todas as bactérias da boca: boas e ruins), seria a receita ideal para pôr um fim nessa história. Em experimento semelhante, os participantes começaram a usar um enxaguante bucal e uma pastilha com a bactéria, e o resultado foi ainda melhor.

Agora o jeito é torcer, porque “bafão” ninguém merece!

Fonte: Catraca Livre
Foto: Divulgação