Por: Sistema Por Acaso | 8 anos atrás

Imagine um filme que começa pelo meio, emenda um fim e acaba no ponto de partida. Confuso? Pode ser, mas esta linha narrativa foi um dos méritos de Pulp Fiction, por exemplo. Para quem acha que o filme foi escrito de maneira linear e depois editado, se engana: no próprio roteiro ele é assim, “o avesso do avesso do avesso”.

(E por falar em Tarantino, há cenas de Kill Bill que nunca chegaram às telas, mas que estão lá no texto original.)

Para quem curte cinema — ou melhor, para quem respira cinema –, ler roteiros é algo tão interessante quanto estar numa sala escura vidrado no filme. E há várias formas de acessar um script. O site da Sony Classics, por exemplo, disponibiliza alguns dos textos das produções da Sony Pictures. Entre eles, Abraços Partidos, escrito e dirigido por Pedro Almodóvar, e Educação, escrito por Nick Hornby e dirigido por Lone Scherfig.

Na mesma onda está a The Weinstein Company, que disponibiliza roteiros de obras como Bastardos Inglórios, escrito e dirigido por Quentin Tarantino, e o musical Nine, escrito por Michael Tolkin e Anthony Minghella e dirigido por Rob Marshall.

Mas se não quiser zanzar de uma produtora para outra, há verdadeiros bancos de scripts na internet que agregam roteiros de variadas companhias. É o caso de The Daily Script e JoBlo’s Movie Scripts. Para filmes brasileiros, uma referência bem bacana é o Roteiro de Cinema.

Eu selecionei cinco roteiros que são espetaculares. Veja se você concorda com minha lista e comente outros scripts geniais:
    * Cidadão Kane
    * Cidade de Deus
    * Forrest Gump
    * Pulp Fiction
    * Taxi Driver

Via Vip .