Por: Sistema Por Acaso | 11/02/2015

O famoso quarto vermelho de Christian Grey ganhará cores ainda mais vivas amanhã, com a estreia mundial da versão cinematográfica de Cinquenta tons de cinza. 

A história do encontro explosivo entre o empresário e a tímida Anastasia Steele deve repetir no cinema o sucesso da trilogia erótica da autora inglesa E.L. James, que vendeu mais de 100 milhões de cópias.

Com o recorde de venda de ingressos antecipados do filme (2,75 milhões em todo o mundo), já foi confirmado que os dois outros livros da série – Cinquenta tons mais escuros e Cinquenta tons de liberdade – também serão adaptados para o cinema.

Apesar de toda a expectativa sobre o filme, o longa recebeu críticas da Folha e do G1, que viram o filme em primeira mão.

Cena-do-filme-Cinquenta-Tons-de-Cinza--size-598

Veja algumas das frases dos veículos de imprensa:

“A construção dos personagens não se sustenta, sadismo politicamente correto não existe.”

“O tal Christian Grey do ator Jamie Dornan (…) só condiz com o macho viril e dominador se o paradigma for o Justin Bieber.”

“(O filme) faz você ficar na dúvida se entrou no filme da Cinderela que espera a abóbora se transformar num Mercedes.”

“O filme perde a graça ao mostrar sexo comportado.”

“Christian Grey ganhou uma versão pudica nos cinemas.”

“Diretora falha ao cortar boa parte do ‘pornô para mulheres’ de E. L. James.”