Por: João Marcos | 5 anos atrás

Diante de um plenário lotado, os vereadores de Guaramirim aprovaram, na noite de ontem, por unanimidade, o projeto que prevê a implantação da Lei da Ficha Limpa no município. Agora, a proposta seguirá para segunda votação, prevista para o dia 16, e, se aprovada no plenário, para sanção do prefeito Lauro Fröhlich (PSD). O presidente do Legislativo, Juarez Lombardi (PPS), reforça que o projeto deverá entrar na pauta da próxima sessão. “Votaremos antes do recesso, que inicia no dia 19”, afirmou.

Foto: Lucio Sassi

Apesar da votação unânime, o projeto causou divergências entre os parlamentares. O presidente da Comissão de Redação e Justiça e líder do governo, Altair Aguiar (PSD), afirmou que a proposta aprovada vai ao encontro dos anseios população. “Parabenizo o Executivo pela elaboração deste projeto que dará maior transparência ao serviço público”, discursou na tribuna.

O peemedebista Charles Longhi saiu em defesa do projeto da Ficha Limpa de sua autoria, que acabou barrado pelo setor jurídico e pela Comissão de Redação, sob a alegação de vício de origem. Ele disse ser favorável à proposta apresentada por Fröhlich. “O projeto votado hoje é idêntico ao rejeitado. A comissão pisou na bola porque isso já poderia ter sido aprovado. Mas, mesmo assim, eu me sinto contemplado”, falou.

O vereador Evaldo Junckes (PT) defendeu a proposta apresentada pelo Executivo e garantiu que o projeto de autoria do peemedebista não era uma prerrogativa da Câmara. “Fui contrário àquela proposta por conter vício de origem que, aliás, era uma cópia do projeto do ex-vereador petista Caubi dos Santos Pinheiro”, concluiu.

O texto aprovado proíbe a contratação, por quaisquer dos poderes municipais, de pessoas condenadas por um colegiado por crimes eleitorais, contra o patrimônio público, corrupção, crimes hediondos, tráfico de drogas, racismo, tortura, terrorismo, estupro e formação de quadrilha.

Via OCP Online

Interessante mesmo é se virar exemplo pra toda região, certo?