Por: Ricardo Daniel Treis | 27/08/2015

Via Ronaldo Corrêa, Assessoria de Imprensa do CDL de Jaraguá do Sul:

190320151524180000000

A Federação do Comércio está buscando junto a lojistas apoio à ação civil pública que a entidade move contra operadoras de cartões de crédito.

O objetivo da entidade é discutir o monopólio das empresas que atuam no segmento e o impacto causado pela cobrança de taxas que são consideradas abusivas e responsáveis pelo encarecimento do custo final do produto pelos quase 80% dos consumidores brasileiros que realizam compras nesta modalidade.

O assunto foi apresentado a empresários de Jaraguá pelo advogado Eduardo Oliveira, durante a plenária mensal da CDL na quarta-feira, dia 26. Segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito, o setor terciário responde por 97,6% do faturamento das operações com cartões de crédito, mas a elevação das taxas traz pouca rentabilidade a mais de 350 mil empresas que se utilizam do sistema.

Um dos principais aspectos da reclamação contra as operadoras está relacionado com o aluguel de máquinas, que de acordo com o advogado não se justifica diante de taxas que já são pagas nas operações, que variam de 2,75% a 8%.

“A ação busca restituir em dobro os valores pagos porque são valores que a entidade considera abusivos se considerarmos que as empresas já recebem o percentual sobre vendas”, assinalou Eduardo Oliveira.

Outras questões são a demora no repasse de créditos aos comerciantes, problemas no funcionamento do sistema como as constantes quedas e a dificuldade na negociação de taxas.

A partir da discussão do assunto, que a Fecomércio vem fazendo em todas as regiões de Santa Catarina, a entidade espera pela adesão dos lojistas e com isso a ação seja viabilizada em benefício do setor. As empresas estão orientadas a procurarem o sindicato patronal para aderirem ao movimento.


CDL – Câmara de Dirigentes Lojistas de Jaraguá do Sul
Telefone (47) 3275-7070 / cdl@cdljaraguadosul.com.br