Por: Ricardo Daniel Treis | 8 anos atrás

Matéria do AN de hoje:

Uma casa simples de quatro cômodos abriga um casal e três crianças. O filho do meio é Anderson, de 11 anos. Uma criança especial que teve paralisia cerebral após complicações na hora do parto. A falta de adaptação na casa é apenas uma das dificuldades enfrentadas por ele.

Para seguir a rotina entre sessões de fisioterapia e médicos, a criança precisa ser transportada no colo, já que a antiga cadeira de rodas não serve mais. A nova cadeira adaptada custa R$ 4 mil .

O modelo Cross AX2 – mais indicada a esse tipo de dificuldade – facilitaria o transporte do menino, mas o valor está fora do orçamento dos pais. A família é sustentada apenas com o salário do pai do garoto, que trabalha como vigilante. A mãe, Alessandra Marques, dedica todo seu tempo para o filho. O menino precisa de uma série de cuidados especiais. Alessandra conta com outra filha, de 14 anos, para ajudá-la nas tarefas diárias. “Ela é a única que consegue dar banho nele”, diz.

Anderson fica em casa pela manhã. À tarde, frequenta as aulas na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Jaraguá do Sul. Em casa, passa a maior parte do tempo deitado no sofá porque não pode se locomover sozinho. O ônibus da entidade busca e leva a criança todos os dias para as aulas e sessões fisioterápicas. Quem quiser ajudar, pode doar na agência 0417 da Caixa, conta 01030121473-9, em nome de Carlos Marques.