Por: Gabriela Bubniak | 01/07/2016

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 90% dos casos de suicídio podem ser prevenidos com auxílio voluntário ou profissional. Foi pensando na prevenção, que o Facebook disponibilizou este mês, no Brasil, uma ferramenta para prevenir casos de suicídio e automutilação.

A nova função, criada em parceria com o Centro de Valorização da Vida (CVV), vai permitir que usuários indiquem, anonimamente, publicações que possam evidenciar ideias depressivas ou suicidas.

O usuário que teve o post reportado receberá, então, uma mensagem do Facebook com opções de ajuda. A ferramenta de prevenção ao suicídio do Facebook já existe nos Estados Unidos e na Austrália desde 2014, e agora disponibilizada mundialmente.

Por ano, o CVV atende cerca de 1 milhão de pessoas no País. A maioria procura auxílio por telefone, mas tem crescido a participação de meios online no apoio prestado. A cada 45 minutos, um brasileiro comete suicídio. Segundo o CVV, quem pensa nisso costuma dar sinais diretos ou indiretos, como manifestar tristeza constante ou sentimentos de insatisfação. E é aí que entra a prevenção.

Como funciona?

Para utilizar a ferramenta, a pessoa que identificar entre seus contatos uma publicação com ideias suicidas ou mensagens pessimistas e depressivas deverá clicar na seta do lado direito superior do post e escolher “denunciar publicação”.

Em seguida, deverá detalhar qual é o problema do post escolhendo a opção “acredito que não deveria estar no Facebook” e, depois, “é ameaçador, violento ou suicida”.

A equipe de análise de conteúdo do Facebook, que trabalha 24 horas por dia nos sete dias da semana, vai avaliar a publicação denunciada e, caso o alerta proceda, enviará uma notificação ao usuário reportado com três opções de auxílio: enviar uma mensagem a um amigo, receber dicas para lidar com a situação e entrar em contato com uma linha de ajuda.

É neste momento que entra a parceria com o CVV, ONG que há mais de 50 anos oferece atendimento gratuito a quem precisa de apoio emocional. Quem escolher essa opção pelo Facebook poderá entrar em contato com os voluntários da ONG por chat online, telefone ou e-mail.

Quem denuncia a publicação também receberá uma mensagem com dicas de como ajudar alguém que está enfrentando dificuldades. Uma das dicas é entrar em contato com o próprio CVV para receber orientação de como conversar com alguém que manifesta ideias suicidas.

Fonte: Revista Exame
Foto: Divulgação