Por: Anderson Kreutzfeldt | 4 anos atrás
O estudante sofreu lesões na boca, cabeça e teve seis dentes quebrados Foto: Artur Moser / Agencia RBS

O estudante sofreu lesões na boca, cabeça e teve seis dentes quebrados
Foto: Artur Moser / Agencia RBS

Outro exemplo de ações de “vingadores” que acaba mal em Santa Catarina. Embora o desfecho pudesse ter sido mais violento (ou até mesmo fatal), cabe-nos a reflexão:

Um estudante do curso de Direito da Furb, em Blumenau, foi espancado ao ser confundido com um criminoso na madrugada de quinta-feira na rua Pastor Osvaldo Hesse. John Paulo Mafra, de 32 anos, foi agredido por um homem com tacos de sinuca e pedaços de pau. De acordo com a Polícia Militar, ele estava voltando da casa de uma amiga às 2h30min quando foi abordado por um veículo. Ele saiu correndo e três homens saíram do carro correndo atrás dele.

Os homens teriam confundido a vítima com um criminoso, já que tinham ouvido uma movimentação estranha no quintal da casa na mesma madrugada. Como John era a única pessoa na rua naquele momento, ele foi confundido com o suposto invasor. Com o barulho, a Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência.

De acordo com a PM, dois dos três agressores fugiram. Foi lavrado um Termo Circunstanciado para o único que ficou no local por lesão corporal e marcada uma audiência para o dia 18 de agosto. O agressor falou aos policiais que ele era o único que passava na rua e que ao parar com o veículo saiu correndo e por isso confundiu com o criminoso. O estudante chegou a mostrar o celular e falar que iria ligar para a amiga para ela confirmar que ele havia acabado de sair de sua casa. Mas o trio continuou com as agressões.

O estudante sofreu lesões na boca, cabeça, braços e teve seis dentes quebrados. Ele foi encaminhado ao atendimento médico pelo Samu. Na tarde desta sexta-feira, o universitário foi ao Instituto Geral de Perícias (IGP) de Blumenau para realizar exames de corpo de delito. A polícia aguarda agora o laudo do IGP para anexar no processo e encaminhar ao judiciário.

O fato gerou uma mobilização nas redes sociais e os posts em que a face de John aparece com marcas de agressão foram rapidamente compartilhadas. O curso de Direito da Furb ainda não manifestou-se oficialmente sobre o incidente, mas afirma que estuda uma maneira para que o estudante não perca o desenrolar das disciplinas enquanto estiver em tratamento.

John falou à reportagem do Santa e afirmou que três pessoas envolveram-se nas agressões, mas no momento em que a PM chegou, apenas um deles estava aguardando.

— Estava voltando da faculdade, parei em uma amiga e fui fechado por um carro. De repente, três pessoas pularam em mim e começaram a me bater e me chamar de ladrão — disse o estudante.

John afirma não conhecer os agressores e procurou um advogado para tomar as providências legais. O autor das agressões assinou um TC e foi liberado.

via Jornal de Santa Catarina