Por: Ricardo Daniel Treis | 5 anos atrás

Olha só Santa Catarina liderando mais uma estatística… Enquanto isso, a mobilidade urbana tá lá no chinelo. Conhecem os dados quanto Jaraguá do Sul?

Aquela hora que você percebe que agora todo mundo pode ir pra praia de carro

Aquela hora que você percebe que todo mundo decidiu ir pra praia

“Santa Catarina é o Estado do Brasil com maior percentual de veículos por domicílios no País (73,4%). A cada quatro domicílios catarinenses, praticamente três têm um veículo particular, segundo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), ligado ao Governo Federal, divulgado na manhã desta quinta-feira.” – Fonte

A nível nacional a situação também pede atenção: metade dos domicílios brasileiros já conta com automóveis (54%). E apesar dos dados terem sido divulgados só agora, a pesquisa foi feita em 2012 – o que significa que os números podem ser maiores.

Dá pra ser otimista com o cenário futuro? Esse fim de semana – uma data qualquer onde apenas deu sol – ao voltar do litoral peguei engarrafamento em quatro pontos diferentes. Levei pouco mais que o dobro do tempo pra voltar pra casa. A causa deles? Não vi um acidente sequer.

Nossas estradas já não estão dando conta da demanda, e pra piorar muitos motoristas ainda aparentam uma grosseira inexperiência.

Agora tome Jaraguá: nossa frota ultrapassa 100 mil veículos. É de chorar em grego considerando que no último censo foi apurada população de 147 mil habitantes (onde incluem-se crianças) na cidade. É praticamente um veículo para cada 1,4 pessoas, sendo que na apuração foi visto que 60% desse número corresponde a carros. Está cada vez mais aparente: falta rua pra tanto motorista.


Pra colaborar um pouco com o crescimento de ideias, vai o repost:
DE BICICLETA PARA O TRABALHO

Eis ai uma cartilha pra ser compartilhada com toda cidade.

Um guia direcionado para trabalhadores e patrões, desmentindo mitos e desculpas além de mostrar como o incentivo à bike é uma boa para todos – tanto para saúde quanto financeiramente. Cliquem aqui para acesso.

Uma parte que gostei muito foi “Respostas para desculpas clássicas”, só essas informações já valem o post. O que você pensa para negar o pedal até o trabalho?

Estou fora de forma.
Se você escolher pedalar num ritmo leve, descobrirá que andar de bicicleta não é mais cansativo que uma caminhada. Faça um teste pelo percurso do trabalho no fim de semana. Uma vez que se torne um usuário da bicicleta, você vai atingir e manter a boa forma mais facilmente.

É muito demorado.
Um ciclista comum transita a 16km/h. Pedalar um trecho de 6km – ou menos – em áreas urbanas leva menos tempo que dirigir a mesma distância . E para distâncias entre 6 e 10km, o tempo é o mesmo. Para distâncias maiores, ainda assim há economia de tempo pois o exercício diário é feito durante a locomoção.

É muito longe.
Se você considera inviável pedalar para o trabalho por causa da distância, pense em pedalar até a estação de metrô/ônibus, ou até a casa de um colega para pegar carona. A bicicleta é o veículo mais eficiente num raio de até 10km.

Não tenho lugar para tomar banho.
Muitos ciclistas não necessitam de banho em seu trabalho. Pedalar para o trabalho não significa pedalar sportivamente, ou seja, não precisa ser uma atividade com suor. Se você prefere pedalar rápido, mas não possui chuveiros em sua empresa, procure um clube ou academia próximos.

Meu trabalho exige traje social.
Alguns ciclistas pedalam com roupa social e chegam sem problemas ao trabalho. Outros optam por roupas comuns ou de ciclismo, realizando a troca após chegar ao destino. Se optar por carregar suas roupas, você pode evitar amarrotá-las enrolando as roupas em vez de dobrá-las. Ainda, pode optar por deixar algumas peças em seu trabalho, e levá-las de volta no fim da semana.