Por: João Marcos | 5 anos atrás

Primeiro foram os meteoritos. Agora olha essa matéria que saiu no último dia 08 no JN:

[youtube_sc url=”http://youtu.be/Y_XF0aHR9GQ” width=”640″ autohide=”1″]

(!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!)

A Academia Real de Engenharia da Grã-Bretanha disse que a explosão de radiação maciça é inevitável e que o governo deve criar um conselho de clima espacial. A entidade iria dirigir e supervisionar a estratégia do governo para lidar com a tempestade solar, a qual poderia provocar apagões, tirar de operação um em cada 10 satélites, além de interromper a navegação de aeronaves e outros meios de transporte. Embora eventos climáticos solares aconteçam em intervalos regular, a Terra não experimentou uma supertempestade desde o início da era espacial.

Na ocasião do último evento extremo, no século XIX, a Terra foi atingida por uma onda de partículas energéticas após uma grande explosão solar. A radiação causou faíscas em postes telegráficos e incêndios. Em todo o mundo, o céu noturno foi iluminado por efeitos semelhantes aos da aurora boral. Mas naquela época não havia satélites em órbita ou microchips sensíveis no caminho das partículas.

Especialistas afirmam que o fenômeno pode causar maiores impactos, como paralisar as redes de comunicação, incluindo GPS e celulares, além de prejudicar satélites e aeronaves em órbita (!!!!!) CORRAM POR SUAS VIDAS.

Via O Globo