Por: Ricardo Daniel Treis | 5 anos atrás

Viram que sábado rolou protesto na frente de festa de casamento no Rio de Janeiro?

Além do motivo óbvio do ataque, vi que também foi colocado em comentário “É nisso que dá convidar o governador pra sua festa”.

O que acontece quando o manifesto invade a vida pessoal dos responsáveis? Sei não, acho que incomoda muuuito mais que quebra-quebra. Do professor da UFES, Fabio Malini, publicado no dia:

“Registro do primeiro grande ‘escracho’ nos protestos brasileiros acontece agora.

O escracho se popularizou fortemente na Espanha e trata-se de protestos que ocupam a vida cotidiana de políticos e empresários.

Nesse caso abaixo, o escracho rola no casamento da filha de Jacob Barata, magnata empresário dono de várias empresas de transporte rodoviário. O povão grita, enquanto os convidados entram: ‘o dinheiro é nosso, ra ra, ru ru’. ‘Uh, uh, vamos invadir’.

Para muitos, o escracho é um modo de criar pânico nos políticos e empresários, que passam a ter sua vida privada devassada e transformada em inferno psicológico. Temendo essa pressão psicológica, eles cedem às reivindicações populares. O escracho se estende aos familiares e amigos desses políticos e empresários. Por ser uma manifestação política, em nenhum país, ele é proibido. Mas levanta fortes controvérsias.O pessoal, no vídeo, agorinha, fez um casamento simbólico da D. Baratinha. Muito humor e muita tensão, ao mesmo tempo.”

A tensão permeava o ar. Não viu-se uma foto da noiva sorrindo, e o negócio terminou com briga entre convidado e manifestantes, além de um cinzeiro arremessado contra a testa de um rapaz presente.

Se a moda pega… Vejam só, foram preciso apenas 200 pessoas pra criar o evento mais incômodo do fim de semana.


E pra fechar, aquele fato: enquanto o povo e o Choque estão se batendo na rua, os caras estão confortáveis em casa dando risada.  A própria polícia lembra:

[youtube_sc url=”http://youtu.be/pVGbAETbsiw” width=”640″ autohide=”1″]

“O cara tá com mais de R$50 milhões na conta dele e tá cag*ndo ai”.