Por: Gabriela Bubniak | 8 meses atrás

Parece besteira falar disso, mas nem sempre a gente sabe escolher os melhores pinhões no mercado, sabia? Não que exista um ritual para a compra da semente – três pulinhos, uma voltinha e bate palma duas vezes, mas tem uns segredinhos que todo mundo precisa saber e passam despercebidos. Vamos aos fatos:

É normalmente entre março e junho que ocorre o auge da produção de pinhas e pinhões. Nesse período, naturalmente, as pinhas explodem nos galhos dos pinheiros e caem no chão. É realmente uma explosão seguida de uma chuva de sementes; chega a ser lindo de ver. 😀

c40d51_a5eff633795f40b4a03fc2ee57f1c48b-mv2_d_4272_2848_s_4_2

Fotos: Divulgação

E é justamente esse o melhor momento da colheita, sabia? Pois o pinhão colhido do chão é o que está completamente maduro, sendo o melhor para ser consumido. POR ISSO, geralmente as pinhas vendidas nos mercados são colhidas bem antes do tempo normal de maturação e, além de não terem o mesmo sabor, há o risco de encontrar muitas sementes imaturas, sem contar os fungos, porque têm o dobro de água que os maduros.

Mas como saber se o pinhão está bom?

– Cor da casca: essa é a primeira coisa que você precisa analisar. A casca do pinhão precisa estar com uma cor vibrante, de marrom mais claro para amarelo. Quando a casca já está sem brilho e sua coloração sem intensidade, normalmente, o pinhão já está velho, fora da época adequada para consumo.

– Furos: veja se entre os pinhões muitos já não estão furados por pequenos bichinhos que invadem seu interior e se alimentam da polpa.

– Polpa: outra forma de analisar se a semente está boa para consumo é cortá-las ao meio e ver se apresentam polpa branquinha, úmida e, até certo ponto, com maciez característica. Se não estiverem assim, já está impróprio para consumo.

NOTA:
Fica aqui uma dica da canoinhense aqui do QG, Monalisa Fernandes: “Não comprem pinhão logo no início da temporada, minha avó diz que é pinhão velho. Se ela disse, tá dito”.

Cozido ou na chapa
Não sei vocês, mas, pra mim, a melhor forma de comer pinhão é depois de assado na chapa de ferro. Pode ser aço ou também uma panela de alumínio grosso, no fogão à lenha ou a gás, é só escolher. O processo demora de 10 a 15 minutos e quando eles estiverem bem tostadinhos é a hora de tirá-los, quebrar as cascas e aproveitar.

Mas, claro que tem gente que prefere que eles estejam cozidos. Pra facilitar e agilizar o processo de cozimento, as sementes podem ser colocadas em panela de pressão e mantidas em cozimento de 45 minutos a uma hora.

Receita catarinense

Buscando na internet a gente percebe o tantão de coisas que dá pra fazer tendo o pinhão como um dos ingredientes, a lista vai de ensopados a bolos. Massss, tem uma receitinha típica da Serra catarinense que é e “lamber o bigode”. Se ainda não comeu, deveria experimentar a paçoca de pinhão!

Ingredientes
1,5kg pinhão cozido e moído
250g carne de gado moída
250g carne de porco moído
250g de linguicinha toscana
250g bacon
250g calabresa
tempero verde
alho
cebola
sal e pimenta
óleo de soja

Modo de Fazer
Refogue a cebola junto com o alho até ficarem dourados, depois refogue o bacon, a linguiça toscana, a calabresa, a carne de porco e a carne de gado (frite bem antes). Misture o pinhão, sal e pimenta a gosto. Por último, tempero verde.

***Essa é para os carnívoros de plantão, mas quem quiser tentar uma versão vegetariana/vegana pode substituir as carnes por tofu e os legumes que desejar – eu recomendo brócolis porque sim e porque amo. 😉

 

Fontes para as informações: Guia Campos,