Por: Ricardo Daniel Treis | 7 anos atrás

Depois de comandar o futsal da cidade por dez anos, a Associação dos Amigos do Esporte Amador, entidade mantenedora da Associação Desportiva Jaraguá (ADJ), está na mira da Justiça.

O promotor da Moralidade Pública, Aristeu Xenofontes Lenzi, determinou ontem a abertura de inquérito policial-civil para apurar denúncia de mau uso de dinheiro público – cerca de R$ 380 mil – repassados entre 2009 e 2010 pela Prefeitura à entidade comandada pelo presidente Sergio Silva e pelo diretor de Esportes, Carione Mees Pavanello, o Cacá, que também foi presidente da Fundação Catarinense de Esportes (Fesporte) no governo Luiz Henrique da Silveira e atualmente preside o diretório municipal do DEM.

A denúncia foi protocolada no Fórum no dia 22 pelo jornalista Sérgio Peron, que encaminhou cópias de notas e documentos que fazem parte da prestação de contas da Associação dos Amigos junto à Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul. Segundo o gabinete do promotor, que prefere não se pronunciar sobre o caso, a instauração do inquérito indica que existem indícios de irregularidades na prestação.

“Existem situações absurdas nos documentos que encaminhei ao promotor. Um exemplo é que, na mesma noite em que a equipe da Malwee Futsal disputava partidas oficiais em Farroupilha, em 2009, o grupo consumia 387 rodízios de pizza em Jaraguá do Sul. Outra situação mostra que, no mesmo dia em que o time jogava em Belo Horizonte, conseguiu receber cem sessões de fisioterapia em Jundiaí (SP)”, destacou Peron. “Sem contar que uma das notas aponta oconsumo de mais de 1.800 refeições num único dia.”

Continue lendo.


E aqui, Cacá se pronuncia: “Peron está de brincadeira”.