Por: Ariston Sal Junior | 11/07/2014
Reprodução Internet

Reprodução Internet

A Celesc deverá anunciar o reajuste anual de energia elétrica no dia 5 de agosto. A partir do dia 7, a revisão será cobrada do consumidor, com a confirmação da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). Em nota, a companhia afirmou que, por respeito ao contexto regulatório, a empresa não pode se manifestar sobre os valores que podem ser aplicados, ainda que sejam estimativas.

O gerente regional da distribuidora, Luiz de Freitas Melro Neto, opina que o aumento seja de 25% a 30%. “É uma estimativa pessoal, mas saberemos somente em agosto”, reforça. A revisão é feita anualmente, sempre em agosto, para compensar gastos declarados pela empresa.

No ano passado, o reajuste médio aplicado foi de 13,73%. O governo federal anunciou, no início de 2013, desconto de 20% nas tarifas. Entretanto, a previsão é que o aumento seja maior em 2014. “A Celesc precisou usar energia térmica por causa da baixa quantidade de chuvas, e o consumidor vai ter que pagar por essa demanda”, lembra Melro.

O reajuste tarifário é efetuado anualmente para todas as concessionárias de distribuição de energia elétrica. O custo do serviço é composto de duas parcelas. A primeira incorpora os custos não gerenciáveis, como compra e transporte de energia elétrica. A segunda abrange os gerenciáveis relacionados à atividade de distribuição de energia elétrica, como pessoal, materiais, serviço e remuneração dos investimentos.

No próximo ano o aumento pode ser ainda maior, já que a distribuidora espera repassar o custo com empréstimos contraídos em 2014. O repasse será feito através do encargo CDE (Conta de Desenvolvimento Energético), um dos usados na base de cálculos da tarifa. Segundo a Aneel, o valor tem a finalidade de prover recursos para o desenvolvimento energético dos Estados, para viabilizar a competitividade da energia e levar o serviço a todos os consumidores do território nacional.

Via OCP