Por: Max Pires | 30/11/2010

A expansão do setor motivou empresários de Jaraguá do Sul a se organizarem em um núcleo setorial com o objetivo de somar forças para atrair maior movimentação em restaurantes e estabelecimentos que atuam na área de gastronomia.

Criado em abril deste ano, o Núcleo de Gastronomia segue os passos do grupo de hotéis, há cerca de 5 anos organizados no Núcleo de Hospitalidade. Apoiada pela ACIJS – Associação Empresarial e APEVI – Associação das Micro e Pequenas Empresas, a proposta busca qualificar estes dois setores que vêm acompanhando o crescimento do setor de serviços no município.

O coordenador Carlos Piloto diz que o Núcleo de Gastronomia surgiu pela necessidade de melhorar o padrão oferecido pelas empresas do setor. Ele entende que a atuação integrada poderá fortalecer o segmento, capacitar a mão-de-obra nesta área, reduzir custos e melhorar a produtividade por meio de compras conjuntas e promover ações que elevem a freqüência nas casas.

Uma das metas já definidas para 2011 é a realização de um evento gastronômico que esteja associado ao roteiro turístico-cultural da cidade. Também faz parte do planejamento para o próximo ano a intensificação do Programa de Alimentação Segura (PAS), que credencia os estabelecimentos, e a promoção de cursos para profissionais como garçons, de copa e de salão.

“Jaraguá do Sul vem crescendo em muitas áreas e a gastronomia precisa estar atenta para oferecer um padrão de qualidade aos visitantes e comunidade. Em poucos meses avançamos bastante”, comenta Carlos Piloto.

A criação de núcleos reunindo empresas de hospedagem e de alimentação vem ao encontro de ações que estão sendo articuladas através de parceria do poder público, da iniciativa privada e de entidades que atuam na promoção do turismo. Na semana que passou o assunto foi tema do 1º Encontro do Turismo – Caminhos de Jaraguá.

Conforme Fenísio Pires Júnior, executivo do Vale dos Encantos Convention Visitors & Bureau, Jaraguá do Sul recebe anualmente mais de 500 mil visitantes. “São turistas pontuais que chegam à cidade em função das empresas, mas que acabam trazendo uma movimentação interessante para a economia. Se tivermos os setores de atendimento qualificados e um roteiro turístico atrativo e organizado, o desempenho pode ser ainda melhor. O desafio é fazer com que estes turistas pontuais permaneçam mais tempo na cidade e região”, aponta Júnior.