Por: João Marcos | 5 anos atrás

Talvez você não acompanhe o trabalho desse cara – pois saiba que deveria – mas recentemente, o rapper Emicida lançou seu novo álbum e poucas horas depois de colocar no ar seu primeiro single ele foi taxado de preconceituoso e machista, entrando no radar da “Marcha das Vadias” de Sampa que disse o seguinte:

“Repercute o discurso hegemônico que deprecia a mulher sexualmente livre e justifica a violência com base no comportamento dela”.

Caso tu queira ficar por dentro de tudo isso, dá play aí na música:

[youtube_sc url=”http://youtu.be/ShnL-2LeCj4″ width=”640″ autohide=”1″]

Pois bem, eis que o artista decidiu se manifestar sobre o caso – mesmo se sentindo desconfortável ao ter que “explicar” sua poesia. No primeiro dos dois shows de lançamento desse novo disco, ele fez o seguinte antes de cantar a música e chamar seu convidado ao palco:

[youtube_sc url=”http://youtu.be/CqxV1sVs5Bk” width=”640″ autohide=”1″]

Boa Emicida! Boa! Pra quem não entendeu, ele se defendeu das críticas usando trechos de outras músicas também de sua autoria, músicas essas que exaltavam e defendiam as mulheres – e também que com toda certeza do mundo,  nenhum desses grupos deu bola, bobear sequer as conheciam.

Mas enfim, esse é o mundo que vivemos, já devíamos estar acostumados a isso. Por mais certos que sejamos, no nosso menor “escorregão”, ou então em qualquer má interpretação que alguém possa ter sobre nossos atos, esses, terão mais repercussão do que nossos acertos constantes.

Vejam bem, por favor entendam que isso não é uma crítica ao movimento da Marcha. Com toda certeza é muito válido lutar pelos direitos das mulheres e pela igualdade dos sexos, tanto que, exatamente por isso, tem muita coisa pra focar antes de uma “letra ofensiva” como essa, não é mesmo?

A vida segue e o caretismo continua.