Por: Anderson Kreutzfeldt | 22/10/2014
dilma-lula-01-size-598

(Chico Peixoto/Leia Já Imagens/Estadão Conteúdo)

“Se o Nordeste ouviu, leu ou viu as ofensas contra nós, o preconceito contra nós… De vez em quando, parece que estão agredindo a gente como os nazistas agrediam no tempo da 2ª Guerra Mundial. Eles são intolerantes. Outro dia eu dizia para eles, vocês são mais intolerantes que Herodes que mandou matar Jesus Cristo quando ele nasceu com medo de ele virar o homem que virou. E vocês querem acabar com o PT, com a nossa presidente, querem achincalhar ela, chamar ela de leviana. Só pode ser feito por um filhinho de papai.”

Essa é uma parte do discurso do ex-presidente Lula, que acompanhado da presidente-candidata Dilma Roussef encerrou a campanha petista no Nordeste nessa terça-feira (21) no Centro Antigo do Recife, capital pernambucana. O ex-presidente não poupou ataques ao candidato Aécio Neves, do PSDB:

“Seria bom que ele não tivesse nenhum voto aqui porque ele nunca lembrou do Nordeste. O máximo que ele lembrava do Nordeste é que vinha passar fim de semana com o governador de Alagoas, nas praias de Alagoas. Mas ele nunca foi ao sertão, e não sabe o que é um sertanejo trabalhar de sol a sol para levar comida para casa.”

O carro de som que nunciava os trackings locais do PT apontavam Dilma com 64 pontos e o “playboy” com 24 pontos. O anunciante é Humberto Costa, colega de Aécio no Senado e coordenador da campanha de Dilma Roussef em Pernambuco. E o discurso não parou por aí:

“Essa semana fiquei pasmo, porque fiquei sabendo que a revista inglesa mais importante de economia do mundo, The Economist, dizia que o povo brasileiro devia votar no outro candidato e não na Dilma. Quem eles pensam que nós somos? Eles pensam que nós somos gado que eles podem dar ordem lá fora e a gente obedece? Ou será que eles esqueceram que há mais de 300 anos a gente já expulsou os gringos daqui?”

Com um tom um pouco mais suave, Dilma completou:

“O rumo certo é aquele que quer ver o povo brasileiro crescendo, e não que enriqueçam uns poucos, alguns interessados em ganhar dinheiro com rentismo. Os tucanos sempre quiseram plantar dificuldade, plantar inflação para colher juros. Vamos dar uma derrota em regra para os tucanos. Não vamos deixar pena de tucano presa, só voando por aí”.

Fonte: Revista Veja