Por: Anderson Kreutzfeldt | 05/08/2014

10460838_258901407641973_4489074750685918172_o

1 – Faça uma breve descrição pessoal, experiência profissional e política.

Meu nome é Jean Carlo Leutprecht, profissional de Educação Física, casado com Samira e pai de dois filhos, Renan e Sâmia. Trabalhei muitos anos como professor de educação física e sou membro do CREF e do Conselho Estadual de Desportos. Fui vereador por dois mandatos, presidente da Câmara em 2009 e da Fundação Municipal de Esportes por quatro gestões. Sou suplente de Deputado Federal pelo PCdoB.

2 – Quais as bandeiras que irá defender, caso se eleja?

A área em que mais tenho atuado é a do esporte e é nela onde tenho o maior número de propostas, porém, nas reuniões programáticas feitas com a comunidade, várias outras necessidades foram destacadas, como o investimento na qualificação de profissionais para o mercado de trabalho, políticas públicas para as mulheres e juventude, atenção com as crianças, saúde e segurança pública. Minha proposta é fazer um mandato participativo, sintonizado com as demandas da população.

3 – Quantos votos você precisa para se eleger e quanto investirá na campanha?

Na nossa coligação, qualquer candidato que atingir a margem de 20 mil votos poderá ser eleito. Com base no meu trabalho e na votação anterior, acredito que podemos atingir esta marca em Jaraguá e cidades da região.
Dentro das minhas possibilidades pretendo investir um pouco sim, campanha sempre gera alguns gastos, mas nada absurdo ou fora da realidade. O povo tem um pé atrás com quem investe demais em suas campanhas e, ao comparar gastos e ganhos, vê que a conta não fecha. Meu partido tem concentrado recursos na minha candidatura por reconhecer sua viabilidade e trata-la como prioritária no Estado, e a nossa coligação também deve investir um pouco. Alguns amigos também têm contribuído.

4 – Você realmente acredita que pode ser eleito deputado, com tantos candidatos concorrendo pela região do Vale do Itapocu? Por quê?

No processo eleitoral não há espaço para fantasia ou especulação. A palavra de ordem é planejamento, pensar estratégias e, principalmente, conversar com as pessoas e buscar apoiadores. Fizemos um trabalho intenso de parceria com lideranças de Jaraguá e todo o Vale do Itapocu, foi uma construção de um relacionamento com líderes comunitários e com a própria comunidade, que é quem está tocando nossa campanha. A conjuntura que se dá em nossa coligação, meu histórico de trabalho e esta rede de apoiadores pode viabilizar, sim, meu nome como representante do Vale do Itapocu na Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Com relação ao grande número de candidatos, penso que, se as candidaturas foram aprovadas em convenção, não existe problema algum. Democracia é assim, se coloca o nome à disposição e o povo escolhe. Pressões por redução do número de candidatos ou qualquer tipo de especulação não contribuem efetivamente com o processo eleitoral. O que precisamos é, como candidatos, apresentarmos propostas e conversarmos com o eleitor, dar elementos para que ele escolha o que acha melhor para nossa cidade e região.

5 – Por que o leitor do Blog Por Acaso deve votar em você?

Mais do que nunca, o momento é de renovação. É preciso analisar propostas e o histórico dos candidatos, questionar e escolher o que se acredita ser melhor para nosso futuro. Tenho feito um trabalho sério em todas as áreas que trabalho e possuo competência técnica para fazer um mandato com conquistas significativas para nossa região, além de ter uma preocupação constante com o caráter participativo em todas as funções que desempenhei, por isso peço ao eleitor que analise meu nome e considere as chances reais que temos de conquistar mais uma cadeira na Assembleia Legislativa para nossa região.