Por: Anderson Kreutzfeldt | 3 anos atrás

unnamed (1)

1 – Faça uma breve descrição pessoal, experiência profissional e política.

Legítimo Jaraguaense, Carlos Chiodini, nasceu no dia 8 de março de 1982. Chiodini é o deputado mais jovem do parlamento. Seu envolvimento com a política começou em 1999, aos 17 anos, filiando-se ao PMDB e permanecendo fiel ao partido, uma das bandeiras que defende. Em 2005, assumiu a presidência do PMDB de Jaraguá do Sul. De 2007 a 2009 foi presidente da Juventude do PMDB (JPMDB). Defendendo uma nova maneira de representar os anseios e reivindicações da Sociedade local e regional, com a formulação de propostas que representassem o interesse coletivo, candidatou-se a deputado estadual em 2006. Nessa eleição, obteve quase 25 mil votos na região, tornando-se o mais votado no Vale do Itapocu e superando em quase sete mil votos o segundo colocado. Em 2007, assumiu a diretoria administrativa do Porto de São Francisco do Sul. De março a dezembro de 2008, ocupou o cargo de secretário da Comunicação de Jaraguá do Sul. Também em 2008 ocupou vaga de deputado, assumindo no lugar do titular licenciado. De janeiro a agosto de 2009 ocupou novamente o cargo de diretor do porto de São Francisco do Sul, até desligar-se para cumprir novo mandato como deputado. Em 2010, elegeu-se deputado estadual, com 40.241 votos. Hoje dedica-se integralmente ao seu mandato, com um trabalho sério, voltado para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos catarinenses.

2 – Quais as bandeiras que irá defender, caso se eleja?

R: Queremos ampliar nosso trabalho na educação, dar andamento aos projetos que ainda tramitam no parlamento e principalmente ver a duplicação do trecho urbano da BR-280 deslanchar. Faltam detalhes para que as máquinas comecem a trabalhar e acredito que nossa luta, nosso esforço, cobrando, indo atrás, traga os resultados esperados. Fora isso, manter o trabalho que já vem sendo feito, lutar para aumentar nosso efetivo de policiais, sempre atender a todos. Temos dois gabinetes, um em Jaraguá e outro em Florianópolis, ambos estão sempre de portas abertas para atender a população. Vamos estar ainda mais atuante nas comunidades, onde ajudamos a população, ampliar nosso trabalho junto aos prefeitos e vereadores, e continuar sendo um representante presente no Vale do Itapocu.

3 – Quantos votos você precisa para se eleger e quanto investirá na campanha?

R: Estamos trabalhando para fazer mais de 40 mil votos. O que precisa ser analisado, é que na última eleição, o deputado que se elegeu com menos votos fez cerca de 25 mil. Com relação a investimentos, não pretendemos gastar muito, até porque fizemos um trabalho forte desde o começo do mandato. Porém, pretendo gastar muita sola de sapato, bastante simpatia, escutar a população, ouvir as cobranças dos representantes políticos. Afinal, política se faz na rua, não atrás de uma mesa.

4 – Você realmente acredita que pode ser eleito deputado, com tantos candidatos concorrendo pela região do Vale do Itapocu? Por que?

R: Acreditamos que temos chances reais de se reeleger. Mas precisamos nos preocupar com este número alto de candidatos, pois esses votos acabam se perdendo, e no final corremos o risco de ficar sem nenhum representante. Acho que a população precisa estudar bem em quem votar, votar em candidato aqui da nossa região, até para depois poder cobrar. Nós temos um trabalho forte e ele precisa continuar, com empenho e dedicação que atuamos tanto no parlamento, quanto nos munícipios e por onde andamos. Somos hoje um nome forte na região pois trabalhamos muito por ela e o povo sabe disso.

5 – Por que o leitor do Blog Por Acaso deve votar em você?

R: Foram três anos e oito meses de muito trabalho. Na educação, temos um projeto bem interessante, nós estamos lutando para que os alunos da Educação a Distância, tenham acesso aos sistema de bolsas do artigo 170 e 171. Pois hoje essas bolsas são disponibilizadas apenas para os alunos da modalidade presencial, sendo que EaD já é uma realidade no Brasil com quase 2 milhões de estudantes. Estamos trazendo uma unidade da UDESC para Jaraguá do Sul, são cursos superiores no formato da EaD, com a expectativa que até o final de agosto a unidade esteja cadastrada no MEC e já possa ser realizado um vestibular para 2015. O Arthur Muller, que lutamos para que ele não fosse demolido e hoje foi devolvido a sociedade. Na saúde conseguimos R$ 18 milhões de reais para os hospitais de Jaraguá do Sul, recursos que já começaram a ser repassados. Entregamos ambulâncias, conseguimos recursos para construções de unidades básicas de saúde em Corupá, Guaramirim e Schroeder. Na infraestrutura conquistamos a importante pavimentação da estrada da Figueirinha, que já foi entregue a comunidade, a implantação de uma unidade da Fatma em Jaraguá do Sul, que vai ajudar o setor produtivo, dando mais agilidade aos processos ambientais. Fora os R$ 25 milhões em emendas que conquistamos para os prefeitos utilizarem em obras de pavimentação, como aqui em Jaraguá do Sul, troca de iluminação pública em Corupá, que será instalado equipamentos de Led. Na segurança, entregamos 47 viaturas para os cinco municípios, vieram novos policiais para região e temos um comando atuante e respeitado. Além disso, criamos o Projeto da Biometria Facial nos estádios de Santa Catarina, é uma lei que exige que os estádios com capacidade acima de 10 mil pessoas, instalem um software que reconheça baderneiros, criminosos e cidadãos que nem poderiam estar ali. O sujeito pode ser localizado no meio da multidão e preso pela polícia militar. Isto já é uma realidade em aeroportos americanos, estádios europeus e queremos que se transforme em realidade no nosso Estado. Na Agricultura, eu sou presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural da Alesc, promovemos uma audiência pública para defender os agricultores, barrando a importação de bananas do Equador para o Brasil. Com a nossa intervenção, conseguimos que a instrução normativa fosse barrada e a importação proibida, o que iria gerar uma série de problemas e prejuízos aos nosso agricultores. Com um trabalho técnico e de muito estudo, conseguimos aprovar 15 emendas no novo Código Ambiental de Santa Catarina, aprovado no ano passado. Uma delas permite que os agricultores possam substituir as atividades desenvolvidas em áreas rurais por outras, por exemplo, ecoturismo ou turismo rural. Conseguimos aprovar o PL das Libras, matéria que exige a tradução de Libras em todos materiais veiculados pelo governo do Estado. Então aproveito o espaço para pedir o voto de confiança para que este trabalho seja mantido e ampliado, pois hoje Jaraguá do Sul e região tem um representante e quem acompanha o nosso trabalho sabe disso. E mais, para concluir, nossas alianças políticas com o Governador, nos garante cobrar mais recursos ainda para região.