Por: Gabrielle Figueiredo | 3 anos atrás

Segue artigo publicado no jornal O Correio do Povo

Uma pesquisa divulgada pela Fecomércio de Santa Catarina mostra que Jaraguá do Sul está entre os dez municípios com o melhor sistema educacional do Estado, ocupando a nona colocação.

Em uma escala de 0 a 1, a educação no município registrou índice de 0,904. O Observatório do Comércio leva em conta o desempenho das 293 cidades catarinenses e foi desenvolvido com base nos indicadores da Fecam (Federação Catarinense de Municípios), contemplando dados nas áreas da educação, saúde e segurança pública.

O município também se destaca quando o assunto é frequência escolar: segundo a pesquisa, mais de 94% das crianças e jovens, entre seis e 14 anos recebem atendimento educacional. O índice é um dos melhores registrados no Estado, atrás apenas de Balneário Barra do Sul (com 96,98%).

Para o secretário de Educação, Elson Quil Cardoso, a qualidade do ensino está diretamente relacionada à capacidade do município de interagir de forma colaborativa com a sociedade civil organizada.“Essa participação nos permite ver as coisas sob um olhar diferenciado. Em contrapartida damos abertura e procuramos ter bons ouvidos para saber agir diante das opiniões”, enfatiza.

Uma das organizações que já desempenha esta função é a Acijs (Associação Comercial e Empresarial de Jaraguá do Sul). No dia 19, a entidade firmou uma parceria com a Prefeitura que tem como objetivo reconhecer o trabalho desenvolvido por professores no município. O presidente da associação, Paulo Mattos, afirma que a entidade tem atuado ao lado da administração municipal na busca por melhorias no ensino fundamental, destacando principalmente o papel do professor no processo de formação dos jovens.

Foto: Piero Ragazzi/OCP

Foto: Piero Ragazzi/OCP

E foi justamente com foco na qualidade do corpo docente que a escola municipal Anna Töwe Nagel se tornou referência na região. De acordo com a diretora, Giumara Ferreira da Cruz, a instituição busca profissionais capacitados e atualizados que conseguem oferecer um ensino diferenciado, capaz de unir conhecimento teórico aos aspectos da vida social.

A professora Rosimere Clementino, que leciona para as turmas do segundo ano fundamental, concorda e complementa: “a tecnologia está aí para concorrer com a escola. Por isso, precisamos de aulas interessantes e dinâmicas para atrair a atenção dos alunos. Além disso, é fundamental ter afetividade e mostrar que cada um é uma parte importante da escola”. Entre as ações desenvolvidas na instituição estão o apoio à educação continuada de professores, realização de projetos fora das salas de aula e atividades culturais.

Tais ações têm dado bons resultados. A pequena Amanda de Moraes, de sete anos, gosta tanto de frequentar a escola que sente saudades das aulas nos finais de semana. “É bem legal, lá tenho professores que me ajudam a aprender coisas novas e que fazem a gente imaginar mais”, conta. Com o apoio da professora Rosimere, Amanda têm ocupado o tempo livre para escrever histórias e soltar a criatividade.

Destaques e demandas

Por outro lado, Jaraguá do Sul ainda enfrenta alguns gargalos que precisam ser solucionados na educação. Na visão do secretário de Educação, Elson Quil Cardoso, a formação do professor é o ponto que mais necessita atenção e tem sido centro do debate educacional no município. A infraestrutura também exige investimentos, os quais o secretário afirma correrem de acordo com o orçamento disponível.

A pesquisa apontou ainda outros aspectos do desenvolvimento regional que exigem cuidados em Jaraguá do Sul: o setor de saúde recebeu índice de 0,579, considerado médio baixo, em especial a cobertura de atenção básica do município. A capacidade de investimento das finanças públicas também registrou índice de 0,559, enquanto o dinamismo econômico ficou em 0,613, considerados abaixo do ideal.

Panorama geral

Com base no levantamento, os municípios catarinenses apresentaram um Índice de Desenvolvimento Municipal Sustentável (IDMS) médio de 0,66, o que se enquadra entre os níveis médio e médio alto. Jaraguá do Sul ficou com 0,792.

Conforme o analista econômico da Fecomércio, Luciano Córdova, a região Norte do Estado se destacou pelo baixo índice de analfabetismo e a taxa de distorção série-idade mais baixa do que as registradas no restante do Estado.

No panorama geral, chama atenção a falta de recursos destinados à saúde. “Isso preocupa, ainda mais quando se leva em consideração que esse indicador vai além dos recursos monetários, avaliando ainda recursos humanos e a infraestrutura. Há falta de profissionais e leitos hospitalares”, destaca o analista.

ranking educação