Por: Sistema Por Acaso | 6 anos atrás

unnamed (4)

Que bocejos são contagiantes, os cientistas já sabem. É só ver alguém bocejando que a vontade aparece — talvez você mesmo tenha bocejado ao ver a foto acima. Agora, uma nova pesquisa aponta para um fato interessante sobre esse contágio: ele tem muito mais a ver com a idade das pessoas do que com empatia.

Segundo o estudo do Centro de Duke para a Variação do Genoma Humano em Durham, Carolina do Norte (EUA), o contágio diminui à medida que os seres humanos envelhecem.

“O aspecto contagioso do bocejo é um fenômeno bem conhecido, que apresenta variação na população humana. Apesar da variação observada, poucos estudos têm abordado os fatores que modulam as diferenças na suscetibilidade de voluntários saudáveis”, diz a análise.

O bocejo contagioso é uma exclusividade dos seres humanos e chimpanzés — provocado geralmente pela visão, audição ou até mesmo menção de bocejar. Pesquisas anteriores apontavam uma relação entre o bocejo e a capacidade de compreender sentimentos e emoções alheias.

Agora, a equipe de Durham realizou uma experiência com 328 pessoas, fazendo-as assistir três minutos de bocejo em vídeo e responder um questionário, informou a Wired.

A descoberta mais impressionante foi que, quanto mais novos os participantes, mais suscetíveis eram ao contágio. Ainda assim, a idade só foi capaz de explicar de 8% dos casos. A análise sugere que sejam feitas agora experiências ligadas à hereditariedade.

Fonte: Galileu.