Por: Ricardo Daniel Treis | 6 anos atrás

Descobri agora e não sabia, para chás há uma regra parecida com a que denomina o que é um champanhe ou não. Sabem de alguma delas?

Vou começar pela regra do champanhe, já que isso também é legal compartilhar: o champanhe ou champanha (em francês champagne) é um vinho branco espumante, produzido na região de Champagne, nordeste da França, e só os feitos lá podem ser assim chamados. Qualquer outro feito fora, não é chamado champanhe, e sim espumante. Entenderam o conceito?

Para chá tem algo parecido: chás só podem ser chamados por esse nome se forem feitos a partir das folhas da Camellia Sinensis, planta que dá origens aos chás preto, verde e oolongs. Aquele chazinho de camomila, mate ou erva-cidreira, por exemplo, é na verdade uma infusão – nome feio pacas.

Tens aí um sachêzinho? Saiba como preparar direitinho seu chá (ou infusão)
1 – A medida: um sachê para até 250ml de água;
2 – Água: filtrada ou mineral. Se de torneira, espere correr 10 segundos em outro recipiente até começar a coletar para o fim. Não reutilize água já aquecida, ela é pobre em oxigênio e altera o sabor da experiência;
3 – É recomendado não preparar ou armazenar o chá (ou infusão) em utensílios de ferro, alumínio ou qualquer outro metal. Inox já está valendo;
4 – Tempo de descanso das ervas na água quente: de 3 a 5 minutos, então a bebida estará no ponto para consumo. Depois do tempo ideal, retire as ervas do recipiente para que não fiquem cozinhando. Se você vai fazê-lo no bule ou na xícara, é recomendado deixar estes recipientes pré-aquecidos antes de receberem a água para o fim desejado, pois a temperatura dela não vai cair;
5 – Se for adoçar, evite açúcar ou adoçante, dê preferência a mel – não altera tanto o sabor e a bebida vai ficar ainda mais saudável. Eu uso aqueles sachêzinhos, tem em qualquer supermercado.

TIPS
– Consuma seu chá quente ou morno. A água em temperatura elevada estraga a degustação e pode fazer mal a seu sistema digestivo;
– Tomar com leite? Não há problema, assim como não há regra ou quantidade definida. Você pode pô-lo antes ou depois, na quantidade a gosto;
– Se feito em maior quantidade, consuma o chá ou infusão em até 24 horas. Após esse período a bebida entra em processo de fermentação, mesmo na geladeira;
– Diferente da infusão, ainda há a decocção, que é a fervura das partes duras dos vegetais, tais como raízes, sementes, caules e cascas.

Os queridinhos desse ano

CHÁ vs CAFÉ
Comecei a tomar chás dada a ziquizira da cafeína no meu organismo. Estava entrando numas de querer uma vida mais saudável, e não gostava da forma como ficava agitado – beirava mais a ansiedade que outra coisa. Pesquisando pra fechar o post, encontrei um painel que traçava uns comparativos, e  para o fim, resolvi tirar dele apenas os aspectos negativos listados a cada uma das bebidas. Confiram:

Café, aspectos negativos
Excesso de consumo pode causar ansiedade, palpitações, mãos trêmulas e falta de sono;
– Problemas gástricos, como refluxo esofágico, por conta da acidez presente;
– Consumo excessivo causa contração nas veias e artérias, dificultando a circulação sanguínea;
– O alto consumo facilita a perda de cálcio dos ossos;
– Escurece os dentes;
– Não é saudável após as refeições, pois inibe a absorção de ferro pelo organismo.

Chá, aspectos negativos (fiz dois grifos)
– Alguns chás contém fluoretos que provocam osteoporose e artrite;
– Alguns chás contém oxalatos, sal presente em cálculos renais;
– Se consumido em excesso pode provocar a eliminação do cálcio no organismo pela urina;
– Os chás verde, preto e branco são estimulantes e prejudicam a qualidade do sono se consumidos à noite (*café também não?);
– Beber chá muito quente aumenta o risco de câncer no esôfago (*café também não?).

Na minha opinião o café é uma ótima experiência sensorial, mas está limitada à poucas dosagens para ser saudável e à fraca variedade de tipos disponíveis no mercado. O chá e as infusões não são tão intensos, mas são mais acessíveis, oferecem uma variedade bem maior de sabores e aromas, e podem ser consumidos com mais frequência. Fora que o consumo de sachês é muito mais prático e gera praticamente zero sujeira.


Além das presentes nos hiperlinks do texto, o Site de Receitas foi outra das fontes onde busquei referências para este post.