Por: Ricardo Daniel Treis | 9 anos atrás

E qual a consequência? Bom, se não quiser ler tudo, só procura o negrito:

Desmoronamento em Jaraguá do Sul

Na madrugada de ontem, parte de um morro na Rua Joaquim Francisco de Paula (Bairro Chico de Paulo) deslizou, deixando quatro imóveis em situação de risco. A equipe da Defesa Civil de Jaraguá do Sul interditou ontem a residência do casal de artesãos Carlos, 46, e Rose da Silva, 32. Além da casa deles, o órgão informou que uma moradia ao lado, o galpão de uma empresa de borracha e um prédio com apartamentos para alugar também podem de ser atingidos por um desabamento de terra, pois estão localizados embaixo do barranco. 

“Ainda não sabemos para onde ir. Esperamos alguma ajuda da Prefeitura. Temos medo de ficar aqui e a tendência é sairmos o quanto antes da casa”, disse Carlos, afirmando que “por pouco” a moradia deles não foi atingida pela terra.

Segundo o vistoriador da Defesa Civil, Celso Peters, existe risco de mais desmoronamentos nessa localidade, que é monitorada desde dezembro passado. “Por isso pedimos a retirada de todo o pessoal da área imediatamente”, enfatizou. 

De acordo com Peters, o deslizamento de terra aconteceu em consequência de uma escavação inadequada no morro, que deveria conter o paredão. O diretor de reconstrução, Ronis Bosse, deve notificar o responsável. Os proprietários dos terrenos não foram encontrados. 

A quantidade de barro que caiu ainda não foi calculada pelo órgão. Ontem, uma empresa particular de terraplanagem retirou terra atrás dos imóveis. Esse trabalho deve prosseguir até hoje.

A diretora de Desenvolvimento Social, Waltraut Nunes, informou que o Ginásio Arthur Müller vai acolher temporariamente o casal que teve a casa interditada até a Defesa Civil definir se eles poderão retornar. Os moradores da residência ao lado que também foi interditada não foram encontrados porque estão de férias na praia.

E a irresponsabilidade alheia ferrou com a vida de mais alguns… Parece que não teve tragédia suficiente nessa cidade em 2008.

Matéria do Correio do Povo de hoje, foto de César Junkes.