Por: Ricardo Daniel Treis | 4 anos atrás

Matéria de Rodrigo Floriani publicada no site da Jaraguá AM:

ciclismo-02
Amantes de uma boa aventura, Giovanni Luiz Basso e Nelson Dornbusch deixam a sua cidade e pegam a bicicleta para enfrentar um percurso de aproximadamente 1.500 km até Montevidéu, capital do Uruguai. Os dois massarandubenses largaram na última terça-feira, dia 17, e tem previsão de chegada no dia 30 de dezembro. Os dois farão o trajeto sem auxílio nas estradas, mas o retorno será de carro e certamente com boas histórias para contar na bagagem.

Para Giovanni o alimento maior da viagem é a superação. Isso porque, o ciclista acredita que muitos gostariam de realizar o percurso, mas não possuem disponibilidade para isso. “Gostamos dessa dificuldade e de saber que muitos gostariam de ir, mas não tem o tempo e a coragem de encarar esse desafio. Isso é parte do que nos motiva a ir e saber que poucas pessoas arriscariam suas vidas neste percurso até o Uruguai”, comentou.

Buscando um pouco mais de segurança, o trajeto foge a uma rota por serra e possui um foco no litoral. “O nosso trajeto nós traçamos com passagem pelo litoral. Até porque, fica mais fácil a pedalada e não pegamos a serra. Mas, também pelo fato de pelo litoral ter mais apoio se nós precisarmos. Tem mais postos de gasolina e pousadas se necessitarmos. Fomos ano passado, esse ano, e vamos novamente em 2014 no mesmo caminho”, endossou.

ciclismo-01Risco na estrada
Na análise de Giovanni o temor não é nem a insegurança devido ao aumento da criminalidade, mas o temor de encarar as temidas estradas do Sul do Brasil. “O risco existe, mas o nosso maior medo é o trânsito. Nós vamos um cuidando do outro, sempre alertando e na medida do possível sugerindo que passe por um ou outro caminho. Mas, nós confiamos em Deus que também vai estar nos auxiliando nesta empreitada”, destacou.

Amizade e companheirismo
A cartada para a parceria de sucesso é o complemento entre Basso e Dornbusch. Segundo Giovanni, a parceria pode até enfrentar dificuldades, mas acaba sempre obtendo um final feliz. “A nossa dupla iniciou e não sofreu alterações. Quando começamos sempre foi eu e o Nelson. Nós já fomos em vários lugares com distâncias longas e sempre foi esta parceria. Somos amigos, nos entendemos e temos a prática de andarmos juntos. Isso acaba dando certo. É como diz o ditado, em time que ganha não se mexe. Então, vamos seguir desta forma”, enfatizou.

Primeiros passos
Tudo precisa ter um começo e para a dupla massarandubense esse início ocorreu da sua cidade natal até Barra Velha, no litoral norte de Santa Catarina. Essa foi a primeira rota dos ciclistas aventureiros e ambiciosos. “Nós sempre quisemos ir mais longe, mas devido ao tempo começamos a elaborar projetos para pelo menos uma vez ao ano poder ir mais longe”, destacou. Inclusive, a próxima meta da dupla é ousada. “O nosso objetivo é planejar uma viagem até o Chile, em 2015”, garante Giovanni. O Natal dos dois será realizado na modesta cidade de Bojuru, entre a Lagoa dos Patos e o Oceano Atlântico. Nem a frustração da data comemorativa longe de casa apaga a alegria de encarar o limite.

RODRIGO FLORIANI