Por: João Marcos | 6 anos atrás

Além de um revolucionário da internet, Kim Schmitz (fundador do site Megaupload) mostra-se um grande estrategista e inteligente defensor de seus direitos, após entrar para a lista negra dos Estados Unidos e ter a maioria de seus bens apreendidos e bloqueados após as ações do governo americano – estas ações foram feitas para bloquear e denunciar sites que ajudassem na pirataria mundial através da internet.

Ele afirma que os funcionários do governo dos EUA eram grandes fãs do serviço: tinham nada menos do que 15 634 contas Megaupload Premium, em que se pagava uma assinatura mensal para fazer downloads mais rápidos. As contas supostamente pertenciam a empregados do Exército, do Pentágono, Marinha, Nasa, Senado e até do próprio Judiciário dos EUA.

Como a alegação partiu de Kim “Dotcom” Schmitz, o extravagante e debochado criador do Megaupload, deve ser encarada com alguma suspeita – Schmitz é réu do processo. Além disso, tecnicamente seria fácil forjar a localização de um computador para incriminar as autoridades. Mas como as 15 mil contas são do tipo Premium, pago, em tese o Megaupload tem como prova os números de cartão de crédito de todo mundo – e poderá revelar quem, dentro do próprio governo, usava o serviço para fazer downloads ilegais.

Via Super