Por: Ricardo Daniel Treis | 5 anos atrás

O dono da agência de modelos Jr Leffer, Orides Junior Leffer de Liz, e o funcionário Ricardo Fischer foram indiciados pelo crime de estelionato. O inquérito aberto em fevereiro foi encaminhado ao Fórum de Jaraguá do Sul na sexta-feira passada, para que a Justiça decida se abrirá uma ação contra os suspeitos.

A Polícia Civil começou a investigar denúncias de que a agência de modelos teria convencido os pais a deixarem os filhos fazerem fotos com a promessa de uma oportunidade na área. De acordo com o inquérito, os pais pagavam pelo serviço, mas as crianças nunca foram chamadas para nenhum trabalho.

Mães que procuraram a delegacia e os boletins de ocorrência

A delegada responsável pelo inquérito, Lívia Marques da Motta, afirma que 22 pessoas registraram boletim de ocorrência contra a agência desde o começo do ano. O indiciamento foi feito com base em 16 denúncias, nas quais teria ficado clara a promessa de trabalho. Lívia diz que era Ricardo quem seria responsável em prometer o trabalho de modelo aos pais das crianças. Ele ganharia comissão por álbum realizado.

A delegada acredita que os suspeitos devem responder em liberdade até a sentença do juiz. A agência continua funcionando normalmente. A pena para o crime de estelionato é de um a cinco anos.

A advogada da agência, Carolina Giovanella Bardin, informou que ainda não teve acesso ao inquérito policial ou processo judicial e que, por enquanto, não poderia se manifestar. Segundo ela, há provas de que a empresa não cometeu crime.

Fonte