Por: Deivis Chiodini | 30/01/2014

Final de semana do maior evento esportivo dos EUA, o Super Bowl (final da NFL, liga de futebol americano), todos preparados pra festa e o UFC como não é bobo nem nada, sempre prepara um card especial para o evento. O UFC 169, vai acontecer em New Jersey, no ladinho de onde o Super Bowl vai acontecer, com duas disputas de cinturão envolvendo brasileiros. No card preliminar, o brasileiro Alan Nuguette luta e vale uma espiada. Vamos ao card principal.

ufcdkak

Jamie Varner x Abel Trujillo (categoria dos leves): Após perder o cinturão dos leves do WEC para Ben Henderson, Jamie Varner nunca mais conseguiu regularidade na carreira. Apesar de alguns bons momentos, como a inesperada vitória sobre Edson Barboza, ainda falta o brilho de outros tempos. Ele terá pela frente o companheiro de Vitor Belfort na Blackzillians, Abel Trujillo, que vem de boa vitória em dezembro sobre Roger Bowling. Varner é um lutador que na trocação tem alguns bons momentos, com golpes retos, mas Trujillo demonstra mais potência e melhores combinações como striker. Varner deve usar seu bom wrestling justamente contra o ponto fraco de Trujillo, a defesa de quedas, colocar a luta no chão e tentar controlar por cima. Jà Trujillo, uma vez no chão, se conseguir ter uma guarda ativa, pode finalizar mesmo por baixo, já que Varner já demonstrou muitas brechas no jogo de chão.
Palpite: Como Trujillo jamais demonstrou ter um chão de muita qualidade também, vou de Varner por pontos.

John Lineker x Ali Bagautinov (categoria dos moscas): John Lineker poderia estar disputando o cinturão dos moscas, mas suas constantes falhas em bater o peso o colocam em situação delicada e mais um erro frente a balança pode ser um divisor em sua carreira. Além disso, ele tem pela frente uma pedreira russa chamada Ali Bagautinov. Lineker deve usar e abusar da velocidade, e suas perigosas combinações de boxe corpo-rosto para manter o russo longe. Não se manter como alvo fixo é fundamental, pois Bagautinov já demonstrou ter potência nas mãos para derrubar qualquer um. Lineker tem que estar com a defesa de quedas em dia, pois o russo é mestre em sambo e um grappler infinitamente superior ao brasileiro, que demonstra deficiências no chão ainda.
Palpite: Bagautinov vai quedar Lineker e finalizar a luta no 3° round.

Frank Mir x Alistair Overeem (categoria dos pesados): Se essa luta fosse a 2 anos atrás, com certeza ela valeria um tittle shot. Mas hoje vale o emprego. Ambos estão com a corda no pescoço e quem perder já foi avisado: O RH é o caminho. Overeem vem de uma suspensão por doping e duas derrotas por nocaute para Pezão e Travis Browne, já Mir perdeu 3 seguidas, contra Cigano,Cormier e Josh Barnett. Falando sobre a luta em si, os dois tem uma característica em comum: batendo são leões, mas quando levam a primeira, viram gatinhos. Mas não há como negar que na parte de pé, o holandês tem grande vantagem. Ex campeão do K-1 (maior evento de trocação do mundo), Overeem tem boas combinações, gosta do jogo de clinche e tem joelhadas devastadoras, que podem levar qualquer um ao nocaute. Já Mir, tem mãos potentes, mas tem sem dúvida nenhuma sua melhor arma no chão. Dono de finalizações brutais (como a kimura que quebrou o braço de Minotauro), Mir pode vencer qualquer um no chão. Costumas raspar bem seus oponentes e uma vez com a posição encaixada dificilmente a perde. O que precisa, é estar com o condicionamento em dia e conseguir colocar Overeem no chão, o que também não é tarefa das mais fáceis.
Palpite: Vou contrariar a lógica que aponta para Overeem. Mir, com uma bela chave de joelho no 1° round.

José Aldo x Ricardo Lamas (cinturão dos pena): Faixa preta de jiu jitsu, com um bom jogo em pé, que combina chutes altos, cotoveladas e joelhadas, invicto na categoria e no UFC (4 vitórias), sobre bons nomes como Eric Koch e Cub Swanson, o americano de origem mexicana Ricardo Lamas é um dos lutadores mais subestimados do UFC. Por sua personalidade pouco polêmica, ele não chama a atenção dos holofotes, mas com certeza é um grande lutador e com potencial para ser campeão dessa categoria no futuro. Eu digo no futuro, porque ele tem pela frente ninguém mais, ninguém menos, que José Aldo. Eu costumo afirmar sem titubear, que se Aldo lutasse numa categoria com pesos mais elevados (como nos médios), ele seria o maior astro do UFC. Pra mim, Aldo é o melhor lutador peso por peso do mundo, e seu cartel e o jeito como domina os adversários a anos estão ai pra comprovar minha tese. Quando você lembra de ter visto Aldo em problemas no octógono? Ele passou como quis por nomes como Urijah Faber, Chad Mendes e Frankie Edgar. Aldo é dominante pois é um lutador completo.Os temidos wrestlers não conseguiram o colocar pra baixo. Mesmo no chão, Aldo é um excelente lutador de jiu jitsu (faixa preta de Dedé Pederneiras, não dava pra se imaginar outra coisa), e coloca pra baixo seus adversários. Mas em pé mesmo que o bicho pega. Aldo é dono dos mais potentes chutes nas pernas do MMA. Seu arsenal parece não ter fim, suas combinações de socos e chutes são devastadoras. Aldo tem aquele instinto assassino, que sente o adversário combalido e dificilmente ele escapa. Por isso Lamas, boa sorte, tente outro dia.
Palpite: Aldo por nocaute no 2° round.

Renan Barão x Urijah Faber (cinturão dos galos): Sério, essa é daquelas revanches que vale e muito a pena. Esses dois caras se enfrentaram em 2012 pelo então cinturão interino da categoria (que se tornou definitivo com as constantes lesões do então campeão, Dominick Cruz). Barão venceu, mas parece que despertou uma besta adormecida em Urijah Faber. De lá pra cá o “Califórnia Kid” devastou seus 4 adversários, com direito a 3 belíssimas finalizações. Urijah evoluiu na parte de pé, tem usado muito bem das joelhadas como forma de contragolpe e seu wrestling é de altíssimo nível. No chão, costuma buscar o pescoço de seu adversário (guilhotinas muito justas são o destaque) e finaliza bem. Além disso, tem muita garra e um condicionamento físico excepcional. Mas o que falar de Renan Barão, o parceiro de treinos de José Aldo? Que só perdeu em sua estréia no MMA, no longínquo 2005, e depois venceu 31 lutas até hoje? Barão é um daqueles caras que consegue manter o plano de jogo, neutralizar seus oponentes sem se tornar chato. Dono de vasto arsenal em pé, costuma surpreender com boas joelhadas voadoras e chutes rodados, mantendo os wrestlers longe. No chão, é um faixa preta do mais alto gabarito (me arrisco a dizer que se tivesse seguido carreira no submission, estaria competindo em nível de ADCC com tranquilidade), que tem paciência e faz ótimas transições de posições para finalizar. Uma luta duríssima, digna de um main event pré Super Bowl.
Palpite: Faber é melhor hoje que na primeira luta dos dois. Mas parafraseando Joe Rogan “Renan Barão is a monster”. Barão por decisão após 5 rounds intensos.