Por: Tita Pretti | 4 anos atrás

“Quem não respeita o pai, não respeita a ninguém
Porque um homem de verdade vai ser pai também
Ame o seu pai, mesmo se ele for porco capitalista”

É esse trecho da música “Não Uso Sapato”, do Charlie Brown Jr., que abre o vídeo-desabafo do irmão de Chorão, divulgado nas redes sociais na última sexta-feira (6 de março), exatamente dois anos após a morte do ex-vocalista da banda.

linha-de-tempo-chorao-20110812-21-size-598
A letra foi só um exemplo de como o cantor usava suas músicas para expor os sentimentos em relação a sua família. No vídeo, Ricardo Abrão lavou bastante roupa suja, tendo como principais alvos de crítica a primeira mulher, o filho e o pai do músico de rock.

Entre muitas histórias, ele afirmou que Alexandre Abrão (filho do cantor, na época com 22 anos) fez uma festa no apartamento do pai duas semanas após o enterro. A mãe dele, Thais Lima (primeira mulher do cantor), foi acusada por Ricardo de ter sido flagrada dentro de um carro fazendo sexo com outro cara, após um ano de casamento.

Com estreia marcada para esta sexta-feira, 13 de março, o musical “Dias de luta, Dias de Glória” também foi alvo das críticas do irmão do músico. Segundo ele, o sobrinho está mascarando a verdade na peça que conta a história do Charlie Brown Jr. “Cadê a Graziela, a verdadeira mulher dele? Ela sim foi a musa inspiradora do Chorão”, questionou Ricardo sobre a participação da segunda esposa de Chorão à Revista Quem.

O musical é estrelado pelo rapper de Blumenau DZ6 (Julio Cesar Hasse), que interpreta Chorão. Aos 30 anos, esta é a primeira experiência profissional dele como ator e cantor. O convite para o papel surgiu após ele participar com sua banda de um programa de TV, fazendo um tributo ao Charlie Brown Jr.:

O catarinense se envolveu com o rap e o hip hop desde a adolescência e conta como surgiu o apelido e a música em sua vida: “Eu tinha 15 anos, andava de skate e fazia rap, andava com uma galera mais velha, começaram a me chamar de ’16’ e aí ficou ‘DZ6”.

DZ6

O rapper DZ6 (Julio Cesar Hasse) vai interpretar Chorão em musical que estreia nesta sexta

No polêmico vídeo, Ricardo ainda diz que o filho do roqueiro não ajuda sua avó financeiramente: “Ele (Alexandre) tira entre R$260 e R$300 mil reais por mês. Custa dar R$10 mil para avó dele? Três meses depois da morte eu procurei ele (Alexandre) para tentar alguma coisa (pensão para a mãe/vó) e ele falou que não tinha que dar nada”.

Segundo ele, houve muita “pilantragem e covardia por parte de uma família humilhou o Chorão a vida inteira”.

E a pior parte de todas eu jogo aqui na íntegra:

“Esse moleque não tem nada a ver com meu irmão, nem na aparência física, ele é um retardado mental. Vai saber né? Na época que meu irmão começou pegar a Thais ela namorava outro, vai saber se né?! Se é filho dele mesmo. Mas isso eu só acho, não tem como saber. Ela queria abortar o filho (Alexandre), veio pedir ajuda para a gente. Mas somos contra isso, e não concordamos”

Confira o vídeo completo:

Pelo sim e pelo não, outro trecho citado no vídeo (da música “Dias de Luta, Dias de Glória”) resume bem toda a situação e o legado do Chorão:

“Podem me tirar tudo que tenho
Só não podem me tirar as coisas boas que eu já fiz pra quem eu amo
E eu sou feliz e canto e o universo é uma canção e eu vou que vou”

Se você curtia o cantor e a banda Charlie Brown Jr., confere aqui um vídeo gravado em Massaranduba, que tem uma mensagem bacana para a galera que estava lá: