Por: Ricardo Daniel Treis | 14/12/2011

“Como usuário do transporte coletivo de Jaraguá e região, gostaria de solicitar a nossos representantes e aos responsáveis uma melhoria muito importante, não somente para mim, mas para a maioria predominante de passageiros.

A tecnologia, por meio de telefones celulares e MP3 players, tornou viável a propagação individual de som, sejam músicas ou toques polifônicos, e infelizmente o que restringe o bom do mau uso do recurso é a consideração que o proprietário do aparelho tem com o restante do ambiente.

É sabido que nem todas pessoas – seja por lapso cultural ou comportamental – praticam em sua rotina a educação e a cordialidade, então temos um quadro lamentável onde indivíduos propagam poluição sonora a seu intento em ambiente fechado, perturbando a maioria absoluta dos companheiros de viagem, ignorando apelos ou respondendo-os com ameaças e até agressão.

É um problema que está crescendo e afeta diariamente nossa qualidade de vida. O estudante e o trabalhador chegam irritados a seu destino e produzem menos; e ao final da jornada, no retorno para casa, o cansaço ainda é sobrecarregado pelo stress. Em capitais e demais cidades de nosso país a situação tornou-se equivalente à uma praga, e foi somente com a intervenção das autoridades em conjunto com as concessionárias de serviço de transporte que a situação passou a ser remediada. Conste como exemplo o projeto de lei apresentado em Porto Alegre, que prevê multa a usuários que utilizarem de forma inadequada equipamentos de som no interior de veículos de transporte coletivo.

Por meio deste manifesto é feita então a solicitação para que seja estudada uma solução e apresentada aos usuários do transporte coletivo de Jaraguá do Sul e região. Fica desde já o agradecimento, com a certeza de que o apelo receberá sua atenção e resposta.”


É isso pessoal, está publicado. Pedimos que colaborem na caixa de comentários, deixando apenas um “Eu apóio o manifesto” ou contribuindo com sugestões ou relatos de casos. Vamos levar este post à concessionária da cidade, câmara de vereadores, ouvidoria do município e outros representantes dos interesses da população, e pedir a eles uma resposta. Quanto mais nomes dando apoio, melhor.

E propaguem para os amigos, os botões das redes sociais estão logo abaixo do título do post.

P.s: “A síndrome de DJ do busão em Jaraguá do Sul“, tudo começou ali.