Por: Ricardo Daniel Treis | 4 anos atrás

IMG_1623

A Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama) comunica que haverá a interrupção do fornecimento dos sacos ecológicos verdes, destinados ao programa “Recicla Jaraguá”, nas próximas semanas. Uma licitação para aquisição de nova remessa está em tramitação. De acordo com o presidente da instituição, Leocádio Neves e Silva, o recolhimento do material segue normalmente (confira os dias e horários aqui), podendo ser utilizado, neste período, qualquer tipo de embalagem. O retorno da distribuição dos sacos se dará, com a normalização da situação, sem a necessidade de permuta, isto é, quando o morador recebe um saco ecológico vazio em troca de um cheio.

materiais reciclaveis_set_13 a mar_15

Implantado em Jaraguá do Sul em dezembro de 2013, o programa “Recicla Jaraguá” conta com um histórico de crescimento. O número de cargas recolhidas em março somam 283, um aumento de 6% em comparação a fevereiro, quando foram contabilizadas 267. Comparados os meses de março de 2015 e março de 2014, quando foram recolhidas 237 cargas, a porcentagem é maior do que 19%. O número de cargas atingiu seu máximo em dezembro do ano passado, quando contabilizaram-se 328. Na comparação com o mesmo mês de 2013 – quando foram contadas 144 cargas – o percentual é de mais de 127%.

Os números são positivos, mas ainda há muito a ser feito. A estimativa é a de que 20% a 30% de todo o lixo da cidade seja reciclável. A redução do volume encaminhado ao aterro sanitário proporciona economia. O custo efetivo para a destinação dos resíduos urbanos até o aterro é da ordem de R$ 0,27 por quilo, incluindo a coleta, transbordo, transporte rodoviário e a destinação final, o que representa um gasto anual de mais de R$ 10 milhões. Outro benefício proporcionado pelo programa é o aumento da geração de empregos e renda na cidade, sem contar a diminuição do impacto ambiental.

Orientações – O saco ecológico verde serve para o acondicionamento de todos os tipos de materiais recicláveis, mas é preciso observar alguns cuidados: lavar as embalagens de alimentos, remover os resíduos e deixá-las secar. Qualquer tipo de contaminante inviabiliza o aproveitamento. Outro cuidado necessário envolve a questão da segurança, especialmente com materiais cortantes. Estes devem ser embalados cuidadosamente antes de serem colocados no saco e, sempre que possível, identificados. Quando o saco estiver cheio, basta colocá-lo na frente da sua residência para a coleta seletiva. O óleo de cozinha também deve ser acondicionado; neste caso, recomendam-se garrafas plásticas (tipo pet).