Por: Sistema Por Acaso | 24/01/2015

money

A manchete pode parecer contraditória, mas, de acordo com um estudo publicado naSocial Psychology & Personality Science, é por causa de uma falha em nossa compreensão sobre a relação entre tristeza e felicidade. Essa dualidade não é tão simples, esses sentimentos, apesar de relacionados, não são opostos exatos um do outro. “Felicidade não é simplesmente a ausência de tristeza e vice versa, então o dinheiro pode ter uma relação diferente com essas emoções”, afirma o estudo.

Para chegar a essa conclusão, pesquisadores analisaram mais de 12 mil pessoas que responderam uma pesquisa do censo, relacionando sua renda e a frequência em que elas se diziam felizes ou tristes. Eles descobriram que pessoas mais ricas se sentiam menos tristes, mas que não relatavam mais momentos felizes do que a média.

Os cientistas acreditam que ter mais dinheiro ajuda a lidar melhor com adversidades, já que os ricos teriam um controle maior da situação. Por exemplo, um vazamento no banheiro não é um problema tão grande para quem é abastado quanto para aqueles com um salário menor. Mas o ditado que afirma que o dinheiro não compra felicidade está certo – momentos felizes aparecem com a mesma frequência em todas as classes econômicas entrevistadas. A única coisa que o dinheiro compra é a falta de (algumas) preocupações.

Via Galileu.