Por: João Marcos | 2 anos atrás

Certa vez publicamos um texto falando das expressões típicas que você precisa ter em seu vocabulário para se tornar um jaraguaense “de fato”. Eram elas  “Uma Feiz”, “Caro (carro), Caroça (carroça), Moro (morro) e Geladerra (geladeira)…”, “De Varde”, “Viu?”, “Fui” ou “pfui”, “Tifa”,“Penal”acesse o post completo clicando aqui.

calcadao-movimentado-e-com-mudancas-no-transito

Na ocasião, pedimos ajuda aos leitores para escolhermos mais algumas e completarmos a lista. Como de costume, vocês não nos decepcionaram e conseguimos reunir um conteúdo bacana para esse novo post.

Confere aí mais uma compilação do Dicionário do Jaraguaense:

“Meu Pau”
Com toda certeza essa é uma das pérolas mais bizarras (pra quem vem de fora) que soltamos por aqui. Meu pau é praticamente um híbrido da cultura popular jaraguaense, serve pra coisa boa e coisa ruim. Pra felicidade e tristeza. Alegria e espanto. Tanto homem quanto mulher podem falar, e ninguém fica chateado.

Portanto, se você é um forasteiro que está lendo esse post, não se surpreenda ao ouvir a expressão quando chegar por aqui.

—–

“Néne”
Taí uma expressão que eu não sei se é usada mais pelos jovens ou pelos mais velhos. Néne é um apelido carinhoso – ou não, dependendo do contexto da frase – para chamar um amigo, conhecido ou qualquer outra coisa que se movimente e possa substituir a palava cara, menino, colega…

“Neeeeeeeeeene tira’s roupa do varaaaaal”

—–

“Mais massa”
Essa é clássica. Melhor é muito certinho. Mais melhor é errado. Mais legal é mainstream. O negócio quando é bom mesmo, sempre vai ser MAIS MASSA que qualquer outra coisa.

—–

“Inticar”
Visssssh véio, quantas tretas já rolaram por conta disso? O mais massa é que, o inticar sempre vem seguido de outra pérola – que não tenho certeza se é exclusiva dos jaraguaenses, mas já ouvi/falei muito por aqui – que é o “Ahhhh eu não deixava!”.

E pronto. O caos estava instalado.

Inticar quer dizer provocar, tirar sarro ou simplesmente m-o-t-i-v-o-p-a-r-a-b-r-i-g-a-r-c-o-m-o-s-a-m-i-g-u-i-n-h-o-s:

– Por que você bateu no seu coleguinha na escola João?
– Ah mãe, ele só tava me inticando.

—–

“Dá conta?”
É muito usado no lugar do verbo conseguir. Principalmente quando envolve alguma atividade que precise usar da força para ser executada, como por exemplo: “Você dá conta de levantar aquela cadeira ali?”

—–

“Uhhhh seu demoNHO”
Você está numa balada ou na rua, tromba com uma pessoa mas você não lembra o nome dela e quer muito cumprimentá-la. O que você faz para chamar a atenção?

A – Pede pelo nome discretamente.
B – Cumprimenta, joga a real de que você não lembra o nome dela e puxa papo.
C – Manda um sonoro “uhhhh seu demonho” e recebe de volta a mesma expressão acompanhada de um abraço ou um cumprimento?

—–

“Tipo”
Tipo assim, não é difícil você ouvir alguém por aqui falando tipo. Tipo é um vício de linguagem que serve para substituir coisas do tipo: aquilo, aquele, outro, assim…

Tipo, pode ser uma expressão usada no Brasil inteiro mas, tipo assim, acredito que tipo seja usada com mais frequência por aqui e em cidades vizinhas, tipo Guaramirim  e Schroeder.

—–

“Toda vida reto”
Essa na verdade eu acho que é uma expressão típica catarinense e não exclusiva apenas de Jaraguá. Toda vida reto é usado para indicar distância, direção, lugar. Não espante-se caso você peça alguma informação na cidade e a pessoa te diga isso.

Por mais que tenha muitas curvas no caminho, segue toda vida reto que tu vai chegar no lugar.

—–

“Azuma”
– Qual teu horário de almoço nene?
– Ah, é do meio dia azuma.

Azuma quer dizer “às uma”, também conhecida como 13h. Alguns dizem que essa veio por influência dos paranaenses que tem forte presença na nossa região. Não sei quanto a veracidade disso por não ser paranaense e muito menos um estudante de fonoaudiologia mas né, é uma expressão bem comum pelas bandas de cá.

—–

Faltou mais alguma? Vou deixar o link do nosso primeiro post aqui na sequência e se você ver que falta alguma, não hesite em colocar nos comentários.

Veja também nosso “Top 7 Coisas que mais irritam o Jaraguaense”