Por: Ariston Sal Junior | 4 anos atrás
Reprodução/Internet

Reprodução/Internet

Futuro e passado se convertem no novo filme da saga mutante. Em “X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido”, que estreia em todo o mundo e também em Jaraguá do Sul hoje, o expectador é levado a duas linhas temporais pela presença de Wolverine (Hugh Jackman), transportado através dos anos para prevenir eventos que conduziram a humanidade a uma realidade sombria, quase apocalíptica.

Ágil e dinâmico, o filme foi bem recebido pela crítica, e esperado com expectativa pelos fãs, despertados por trailers instigantes. Além dos poderes incríveis dos heróis e anti-heróis, a viagem no tempo dá uma dose extra de ficção científica às sequências de drama e ação. Uma história densa, complexa, e por consequência, cheia de explicações. Atores da ‘velha guarda’, vistos na trilogia original conversam coma o elenco do ‘prequel’ “First Class”.

Praticamente extintos, os mutantes são obrigados a viver escondidos no futuro. Eles são caçados por gigantescos robôs, chamados Sentinelas, que têm a capacidade de detectar seus genes X e se adaptar quase que instantaneamente aos seus poderes. A arma foi criada pelo chefe político Bolívar Trask (Peter Dinklage) para aniquilar a classe mutante, mas aos poucos, as máquinas passam a se voltar contra os humanos comuns. O futuro traz o professor Charles Xavier (Patrick Stewart), Magneto (Ian McKellen), Tempestade (Halle Berry), Lince Negra (Ellen Page) e Wolverine como sobreviventes em constante luta. O meio encontrado para prevenir o futuro trágico é enviara consciência de Logan ao passado, de volta a 1973, ano em que Mística (Jennifer Lawrence) assassinou o cientista Trask e motivou o governo dos EUA a considerar os mutantes uma ameaça à segurança e ativar o programa Sentinela.

A capacidade regenerativa torna Wolverine o único capaz de sobreviver à viagem, em que é destinado a reunir os jovens Xavier (James McAvoy) e Magneto (Michael Fassbender) e guiar os X-Men. O objetivo é prevenir o futuro trágico. O enredo traz um Professor X isolado em sua mansão. Ao jogar a frase: “Professor, você vai achar difícil de acreditar. Mas eu fui mandado aqui pelo senhor, do futuro, 50 anos a partir de agora”, Wolverine é recebido com risadas irônicas. Xavier, em um estado pessimista, se mostra pouco propenso a acreditar no alerta ou reencontrar seus velhos amigos. E um segundo problema: Magneto está preso, centenas de metros abaixo do Pentágono.

Apesar da causa em comum, as diferenças ideológicas entre os dois maiores mutantes é o tempero para a trama. O professor idealista e otimista, e um mestre do magnetismo ainda mais sombrio, crente na superioridade mutante em relação à raça humana.

Também aparecem em cena Fera (Nicholas Hoult), Vampira (Anna Paquin), Mercúrio (Evan Peters), Homem de Gelo (Shawn Ashmore) entre outros mutantes. O filme é co-escrito, produzido e dirigido por Bryan Singer, que assinou o ritmo dos dois primeiros números da saga. O roteiro adapta o arco “Days of Future Past”, série de quadrinhos de 1981.

Via OCP