Por: Ariston Sal Junior | 4 anos atrás
A aposentada Romilda trouxe as cores do Brasil para o passeio ciclístico  Lúcio Sassi/OCP Online

A aposentada Romilda trouxe as cores do Brasil para o passeio ciclístico
Lúcio Sassi/OCP Online

Bicicletas de todos os tamanhos, cores e marcas estavam reunidas no estacionamento do Fort Atacadista, na manhã de ontem, para o Passeio Ciclístico apoiado pelo Sesc de Jaraguá do Sul. A proposta do evento foi incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte sustentável. Ao fim do passeio foram sorteados 50 bicicletas novas ao público participante.
A edição deste ano reuniu 3.718 e conseguiu arrecadar 783 quilos de alimentos não perecíveis para o projeto Mesa Brasil do Sesc, destinado a instituições carentes do município e região.

Os ciclistas saíram do estacionamento do Fort Atacadista, percorreram toda a extensão da Rua Bernardo Dornbusch e voltaram pela Prefeito Waldemar Grubba, entrando na Max Wilhelm para voltar ao ponto inicial. Foram aproximadamente cinco quilômetros de percurso. De acordo com o técnico de atividades em recreação do Sesc, Gustavo Machado, a importância deste passeio é tornar a bicicleta o tema principal. “É válido que as pessoas comecem a utilizar mais este meio de transporte além de ser um fator ecológico, pela emissão de gases dos veículos, pode se tornar usual no dia a dia.”

A aposentada Romilda Zanghelini, 71, foi uma das que mais chamou a atenção por onde passava. A bicicleta customizada, com tema de Copa do Mundo, encantou as crianças e deixou os adultos admirados com a criatividade. “Não ando todo dia com ela assim, porque é mais pesada, mas estou sempre na rua pedalando”, conta. “Andar de bicicleta faz bem para a saúde e eu amo, sempre que posso participo de eventos como este.”

Outra magrela que chamou a atenção foi a do funcionário público, Ruy Lessmann, 57, que exibia orgulhoso a Dürkcpp ano 1926. “Pertencia a Hilário Schiochet, sou o segundo dono. Tenho certeza que fiz um bom negócio”, analisa. Acompanhado da esposa Waldineia, 53, avaliou a importância do evento. “Pedalar é saudável e no dia a dia, ter uma bicicleta facilita muito. Consigo fugir do estresse do trânsito.”

A família Macedo, de São Paulo, mora na cidade há cerca de um ano e o casal Marli e Dirceu não perdeu a oportunidade de levar as filhas Helen, 5, e Alice, 1 ano, para passear e conhecer melhor a cidade. “É importante fazer com que elas participem e conheçam os eventos da cidade”, diz Marli. “Costumamos andar bastante de bicicleta no dia a dia, acho que um dos pontos positivos ter a ciclovia à disposição.”

 

Ação Social

Os alunos da AMA (Associação Amigos do Autista) de Jaraguá do Sul serão recebidos, na próxima semana, com espaço revitalizado. Em uma iniciativa da loja Balaroti de Jaraguá do Sul, o local recebeu reparos elétricos, pintura das paredes internas, instalação de prateleiras em algumas salas e substituição de assentos sanitários e ganchos nos banheiros. Voluntariamente 20 funcionários e pais de alunos trabalharam pelas melhorias. “A intenção é encontrar formas da empresa ajudar e envolver os funcioná rios com o trabalho voluntário”, explica o gerente da loja, Mário Nogueira. “É importante realizar estas atividades, pois é uma forma de incentivar outras empresas e instituições. Toda ajuda faz a diferença.” Foram disponibilizados entre R$ 4.500 e R$ 5 mil em materiais para pintura e os outros serviços. Para a diretora psicopedagoga da entidade, Tânia Krause, o que chamou a atenção foi a agilidade do respaldo da empresa. “Fizemos uma visita à loja e logo se iniciou a organização para este projeto. A resposta foi imediata e a ação veio em seguida”, ressalta. “Independente da parte financeira, que é um gasto que a AMA não tem, isso influencia positivamente para a satisfação dos profissionais e dos estudantes.

 

Fecarroz saboreia carreteiro gigante

Quem acha que cozinhar é uma atividade que exige apenas sutileza nunca presenciou o preparo de um carreteiro gigante, como aconteceu quinta-feira (01) na 14ª Fecarroz (Festa Catarinense do Arroz), em Massaranduba.

A imensa panela em ferro fundido já impressionava de longe. Dentro dela, mais de 350 quilos de arroz, carne, linguiça, charque, entre outros ingredientes sendo movimentados pela força. Mais de nove homens se revezaram na colher de pau desde as 6h30 para seguir as orientações do mestre cuca, Alcides Vieira.

O proprietário de uma lanchonete da cidade Claudiomiro Conto era um deles. “Tem que controlar o fogo e não pode parar de mexer, precisa ter braço para isso”, contou enquanto retomava o fôlego. As provas eram constantes para checar o sabor. “É certeza que vai ficar muito bom. O processo é todo manual, mas a gente tem prática nisso”, comentou o cozinheiro por volta do meio-dia, pouco antes do prato ficar pronto.

Se o objetivo da empresa jaraguaense Urbano Agroindustrial, responsável pela ação, era chamara a atenção do público, o sucesso já estava garantido antes mesmo de servir.

Centenas de pessoas acompanhavam atentamente o preparo do carreteiro. Alguns inclusive filmando e fotografando os detalhes. “Achei excelente essa ideia. Fiquei curiosa sobre o preparo, são tantos elementos e nessa quantidade”, afirmou Cilena Voelz, 49 anos. Foi preciso um trator, com uma concha acoplada para transferir a mistura quente para as panelas menores. Conforme os recipientes ficavam cheios, seguiam para o pavilhão, onde uma longa fila esperava para provar. A expectativa era servir mais de cinco mil pessoas. Os pratos foram vendidos a R$ 10. Olinda e Daniel Ciconeti foram de Jaraguá do Sul para experimentar um pouco do carreteiro. “Está muito gostoso mesmo, está aprovado, tanto o sabor quanto essa novidade.”

Carreteiro gigante foi destaque na Fecarroz Lucio Sassi/OCP Online

Carreteiro gigante foi destaque na Fecarroz
Lucio Sassi/OCP Online

 

Via OCP Online