Por: João Marcos | 4 anos atrás

Vi essa na Folha e fiquei de cara. Olhem só:

Um grupo de 50 viciados em crack se submeteu a um experimento comandado por psiquiatras da Universidade Federal de São Paulo: altas doses de maconha combinadas com terapia. Resultado: 68% deixaram o crack. Desse total, 100% deixaram a maconha –o detalhamento do tratamento você encontra aqui.

Diante dos indícios positivos, os psiquiatras queriam dar mais consistência à pesquisa, ampliando o atendimento e controlando a qualidade da maconha.

O mais incrível dessa história é que, como no Brasil é proibido o uso medicinal da maconha, a experiência foi suspensa. Os psiquiatras poderiam ser enquadrados como traficantes.

Descobriram a cura ou um jeito de amenizar o vício do crack? Talvez.

Daí se vê o perigo de misturar preconceito com ciência.

Deveras o assunto “Legalização” é algo delicado e que gera diversas discussões. Mas é realmente sério que eles preferem que cracolândias engulam nossas cidades e jovens todos os dias?

Já não é nem uma questão de lógica, acredito que agora só esteja faltando o bom senso mesmo.