Por: João Marcos | 27/09/2012

Até quando quem trabalha na Câmara de Deputados pode achar que manda em algo, ou que pode fazer o que quiser no país? Com tanta coisa para se preocupar, como a podridão, a corrupção, as armações e toda a vergonha que ronda aquela casa, o Deputado Protógenes Queiróz, do PCdoB de Sampa, diz que o filme de um ursinho viciado é uma afronta sem igual e deve ser banido de nossa sociedade imediatamente – ah tá e eles não deviam?

O único detalhe disso é que tudo aconteceu depois de assistir ao filme com seu filho de 11 anos – sendo que a classificação indicativa do longa é de 16 – já começou tudo errado ai. O coitado e santo deputado ficou horrorizado com o estilo de vida propagado na comédia e propõe agora ao Ministério Público que suspenda a exibição do filme no Brasil. Pois segundo ele:

Não poderia ser liberado nem para 16 nem para 18 anos. Esse filme não pode ser liberado para idade nenhuma. Não deve ser veiculado em cinemas.

Porra, agora eles querem até decidir o que eu, você ou qualquer outra pessoa assistimos ou não nos cinemas. Uma pessoa maior de idade sabe muito bem o que faz e porque faz. A indústria pornô é algo bem mais ofensivo e barato, mas nisso ele não mexe, já que pode acabar atrapalhando seus momentos de solidão. Pô eu quero assistir TED:

[youtube_sc url=”http://youtu.be/ayiOcR4nEnI” width=”640″ autohide=”1″]

E a questão aqui não é nem o fato de querer assistir ou não, na verdade é a falta de preocupação dele com coisas realmente sérias. Quem infligiu a lei foi ele levando o filho menor para assistir, quem fez a merda toda foi ele e agora a população toda irá “pagar”, assim como acontece em todas as outras vezes em que somos feitos de otários, manipulados pelas vontades de nossos governantes.