Por: Anderson Kreutzfeldt | 4 anos atrás
EMF_26891

Imagem Ilustrativa | Eduardo Montecino

A Defesa Civil de Santa Catarina confirmou, na noite desta segunda-feira, uma morte provocada pelas enchentes no estado. Parou de chover e os rios começaram a baixar. Mas a situação ainda é grave em 15 cidades, muitas estão encobertas pela água.

Cidades do Vale do Itajaí e do norte de Santa Catarina registraram nos últimos cinco dias o volume de chuva esperado para três meses. No domingo (8), boa parte de Jaraguá do Sul foi tomada pela água.

“Parecia um vulto, de repente”, conta o eletricista Oscar Horongoso, emocionado.

A população está sem água potável.

“A gente gostaria de voltar hoje. Limpar como se não há água se não tem luz”, afirma a professora Ivanete Barbosa.

A cidade vizinha, Guaramirim, decretou calamidade pública. Cerca de 15 mil pessoas estão desalojadas. Um menino de oito anos está em estado grave. Ele foi soterrado por um deslizamento.

O outro município em calamidade é Rio Negrinho. Os rios subiram quase dez metros. Metade da cidade ainda está debaixo d’agua. As chuvas também causaram deslizamentos e crateras que interditaram trechos em três rodovias federais.

Para a Defesa Civil a situação ainda é de emergência, com perigo de deslizamentos. Nesta segunda-feira (9), muitas famílias começaram a voltar para casa em diversas cidades, mas a orientação para quem mora nas áreas de risco é aguardar pela liberação das autoridades

Matéria retirada do portal G1. Para assistir a matéria do Jornal Nacional, clique aqui!