Por: Anderson Kreutzfeldt | 4 anos atrás

1354634403

Repostei o texto abaixo em meu blog pessoal há pouco tempo atrás e resolvi compartilhar com a aldeia de leitores do Por Acaso. O texto é de 2012, espero que gostem:

Chega um momento na vida de um homem em que ele encara o teto e pensa: “E agora?”. Posso falar somente da minha experiência, mas acredito que isso deva acontecer com as mulheres também.

E naquele olhar fixo no teto, passam pela cabeça todas mulheres com que ele já esteve. Um homem deve transar com uma mulher que ama e com uma mulher que odeia, com uma que não quer nada com ele e com outra a qual ele não quer nada. Um homem deve dormir com uma mulher boa demais para ele, mas também com uma mulher para a qual ele seja bom demais.

E olhando para o teto, ele sente uma sensação de dever cumprido. Não quer dizer necessariamente que você transou com todas as mulheres que queria e nem que todas as mulheres que queriam transar com você já transaram. Simplesmente… É o suficiente.

Se está gostando do texto, não deixe de deixar a sua curtida na página oficial para receber as novidades em primeira mão:

O teto então responde: “Bem, e o que você vai fazer agora?”. E o homem responde para o teto: “Bem… Eu não sei”. E nessa hora o homem serve-se de uma cerveja, uma dose de uísque ou qualquer outra bebida que consiga encontrar em seu apartamento. Acende um cigarro ou o que quer que ele use para aliviar a ansiedade e relaxar. Oferece um cigarro para o teto, mas o teto não aceita.

E ele fica ali, pensando sobre as mulheres. Mulheres doces e amargas, altas e baixas. Tem tanta mulher no mundo que um homem jamais poderá se enjoar delas. Ele suspira pensando nas mulheres que perdeu e suspira novamente pensando nas mulheres que o perderam. Então termina sua bebida e continua olhando para o teto.

O teto então, diante da fumaça do cigarro e sabendo que os homens ficam extremamente filosóficos quando bebem, pergunta: “De quantas mulheres precisa um homem para compreender que ele precisa de uma só?”. O homem tosse uma ou duas vezes e encara o cigarro. Ele precisa parar de fumar, mas sempre deixa isso pra depois. Agora, sempre ás mulheres.

Então o homem abre a boca e diz: “Ora, mas sempre há uma mulher diferente. Quantas mulheres um homem conhece em sua vida para dizer que só precisa de uma só? Como saber qual delas é a certa?”.

O teto ficou em silêncio por alguns instantes e então o homem encarou a lâmpada. Ah, sim, o teto não poderia responder a pergunta que fizera o homem, mas a lâmpada sim. E olhando para a lâmpada, esperando pela sua resposta o homem termina seu cigarro, apaga-o no cinzeiro, dá o último gole na sua bebida e passa a não fazer nada que não seja esperar.

A lâmpada então responde: “Você simplesmente sabe”.

O texto original pode ser encontrado aqui.