Por: Anderson Kreutzfeldt | 4 anos atrás

scar
O pianista Luiz Gustavo Zago apresenta-se em Jaraguá do Sul nesta quinta-feira, dia 6, às 20h, com a turnê “De Jobim a Piazzolla”, que está percorrendo oito cidades de Santa Catarina. Depois de Florianópolis, onde estreou em 30 de janeiro, passa por Jaraguá do Sul e chega a Joinville na sexta-feira, dia 7, Chapecó (13/03), Joaçaba (14/03), Lages (15/03), Blumenau (20/03) e Pomerode (21/03). Os ingressos são gratuitos e podem ser retirados na secretaria do Centro Cultural da SCAR. Informações pelo telefone (47) 3275-2477.

A Turnê “De Jobim a Piazzolla” foi viabilizada pelo Governo do Estado de Santa Catarina, Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte através do Funcultural. O objetivo do projeto é difundir a música instrumental latino americana do século 20 representada pelos compositores Tom Jobim e Astor Piazzolla, contribuindo assim para a formação de novas plateias e criando um circuito de recitais por diversas regiões do Estado. A produção cultural é de Lourcley Silvestre e tem direção musical de Alexandre Dietrich. Serão apresentadas obras de dois expoentes da musica latino-americana Tom Jobim e Astor Piazzolla.

Jobim e Piazzola são músicos universalmente reconhecidos por sua obra marcante e atemporal. É interessante observar que são dois compositores de formação clássica que enveredaram pelo caminho da música popular e reinventaram a música de seus países modernizando respectivamente a musica popular brasileira e o tango.

Conforme a produtora Lourcley Silvestre, a turnê de Jobim a Piazzola procura desmistificar o conceito de erudição, quebrando barreiras entre os dois gêneros (Erudito e Popular), levando a convergir em apenas uma direção: a música de qualidade, independendo do estilo ou origem. Os arranjos compostos para os recitais por Luiz Gustavo Zago buscam vivenciar a música sem limitações conceituais, pesquisando as riquíssimas possibilidades que se abrem no encontro dessas duas correntes. “Apresentaremos ao público uma mostra da produção musical da musica latino americana do século XX, propiciando uma música de alto nível técnico e artístico preocupada com a originalidade e o aperfeiçoamento de linguagem musical”, explica.

Em todos os recitais serão apresentados comentários curiosos sobre os compositores e as obras a serem apresentadas com uma linguagem simples, objetiva e interativa possibilitando o público compreender e intensificar o interesse pela música. O repertório que foi cuidadosamente escolhido para que o mesmo seja variado e agradável, e ao mesmo tempo o público possa ter oportunidade de ouvir obras conhecidas que atingiram o grande publico como ” Libertango” de Piazzola e “Chega de Saudade” de Jobim, quanto obras de inspiração clássica que surgiram num período de amadurecimento da linguagem musical destes compositores como “Passarim” e “Chora Coração” de Jobim e “Coral” de Piazzola que estão no repertório do recital para mostrar a vasta gama de expressões artísticas que ambos compositores atingiram.

Programa

Tom Jobim: Insensatez, Passarim, Luiza, Falando de amor, Chora Coração, Chega de Saudade, Triste, Correnteza, Choro, Sabiá, Brigas nunca mais, Estradas do Sol

Astor Piazzolla: Oblivion, Milonga del Angel, Invierno porteno, Libertango, Michelangelo 70, Decarissimo

Sobre o pianista Gustavo Zago

Luiz Gustavo Cordeiro Zago é Graduado em Bacharelado em Piano na Universidade Estadual de Santa Catarina, sob a orientação do pianista Alberto Heller.”. Compositor, arranjador e pianista, Zago já gravou mais de 40 CD’s, entre eles o seu primeiro trabalho solo, o CD “Até Amanhã”, com 10 músicas de sua autoria, transitando entre a música popular brasileira, o jazz e a música clássica, suas principais fontes. Já dividiu o palco e o estúdio com nomes de destaque como André Mehmari, Chico Saraiva, Tavinho Moura, Nailor “Proveta” Azevedo, Toninho Ferragutti, seja como produtor ou como pianista e arranjador.

Realizou turnê nos Estados Unidos com show Musadiversa, nos estados de Alabamba e Georgia, em março 2013.

É detentor de diversos prêmios, entre eles, a 1ª e 3ª edição do Festival SESC de Música em 200 e 2002, respectivamente como músico e como compositor/pianista. Em 2003, é o instrumentista revelação do 16º FUC, e menção honrosa no Prêmio Nabor Pires Camargo. Em 2009, recebeu o prêmio Franklin Cascaes na categoria música popular, pelo show “50 anos de bossa-nova” da Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes. Em 2011 recebe o prêmio Edino Krieger da Academia Catarinense de Letras e Artes, como personalidade musical do ano.

Lançou seu primeiro CD, “Até Amanhã”, em 2011, buscando um conceito sonoro de “canção instrumental”, aliando a MPB ao jazz e música erudita. Grande apreciador do gênero canção, busca conciliar o tratamento privilegiado da melodia que caracteriza a canção brasileira com a sofisticação harmônica e improvisos característicos do jazz, aliado a um “touch” cuidadoso que marca os pianistas de formação clássica. Realizou turnê de lançamento do CD Até Amanhã pela Lei Municipal de Incentivo a Cultura de Florianópolis (2011) e Turnê Sul de Lançamento do CD Até Amanhã pelo FUNCULTURAL- Fundo de Cultura do Estado de Santa Catarina ( 2012).

Atua como pianista solista realizando diversos concertos com Camerata Florianópolis, entre eles, concerto de abertura da temporada 2011 da Camerata Florianópolis interpretando Rhapsody in Blue de George Gershwin, Concerto Catarina Instrumental e Camerata Florianópolis em Jazz (2011 e 2012), participação como pianista solista e arranjador.

Integra como pianista e arranjador o Trio Jazz Jurere Classic, realizando diversas apresentações de jazz e concertos integrando o jazz a musica erudita.

Como pianista e diretor musical, possui intensa experiência de estúdio de gravação em mais de 40 CD’s de música popular brasileira. Entre eles, “Narrativas de Catarina”, no qual fez os arranjos para o show e CD, interpretados pela cantora Ive Luna (cantora do grupo Cravo-da-Terra) e a pianista Carla Pronsato; “Boa Pessoa”, segundo CD do compositor Silvio Mansani, no qual atuou como diretor musical e arranjador de 6 faixas; e a suíte “Outras Pessoas”, também de Silvio Mansani, ao lado do Quinteto de Cordas Catarinense, com direção musical e arranjos do premiado André Mehmari. Produz ainda trilhas de documentários, entre as quais se destaca “JK no exílio”, uma produção Brasil-França, com elogiosas críticas sobre a trilha sonora.

Aliando a sua carreira de pianista, está atualmente trabalhando nos arranjos de seu próximo CD autoral, a ser gravado no final do ano, com temas mais densos e dramáticos, e exploração de uma paleta orquestral de timbres, aliado ao “piano jazz trio” que já acompanha há tempos seu trabalho.