Por: Isah Sanson | 7 anos atrás

Em 2005, o artista David Choe foi convidado por Mark Zuckerberg para pintar as paredes do primeiro escritório do Facebook, na Califórnia. Ao invés de receber pelo seu trabalho em dinheiro, Mark Zuckerberg lhe ofereceu ações da empresa, já que não havia verba para o pagamento. Choe teria dito que a ideia do Facebook era “ridícula e descabida”, mas acabou aceitando as ações.

O que na época não significava quase nada, poderá valer até US$ 200 milhões quando os papéis do Facebook forem negociados em bolsa, ainda este ano.

Mural executado por Choe no Facebook, analisado em US$ 200milhões

Daquelas histórias que fazem a gente acreditar que coisas boas acontecem para as pessoas que merecem.